Editor

.

Linha Editorial

  • "Mídia Construtiva é também lançar o olhar crítico sobre problemas, apontar falhas, denunciar. Contribuindo para a corrente que tenta transformar o negativo em positivo."

    Leia mais ...
Mostrando itens por tag: brinquedos

cartinha_para_papai_noelOs Correios deram início nesta sexta-feira (11) à campanha nacional Papai Noel dos Correios 2011, que presenteia crianças que escrevem cartas pedindo presentes. Em 2010, foram postadas 1,2 milhão de cartas destinadas ao Papai Noel. Desse total, a campanha arrecadou e entregou 685.698 presentes.

Os interessados em colaborar podem participar de duas maneiras: como ajudantes ou padrinhos. Os ajudantes leem, cadastram informações e selecionam as cartas. Os padrinhos são pessoas que “adotam” uma cartinha, providenciando o presente solicitado pela criança. As cartas são disponibilizadas para adoção em unidades dos Correios.

Os presentes devem ser entregues pelos padrinhos nos pontos divulgados pelos Correios para que, posteriormente, a entrega seja feita pela empresa. “Dependemos da sociedade, do empresariado, para que se engaje no projeto junto com os Correios e adote, apadrinhem as cartinhas para que a gente possa fazer mais crianças felizes”, destaca o vice-presidente de Negócios dos Correios, José Furian Filho.

As datas da campanha podem variar em cada estado. Informações oficiais sobre o Papai Noel dos Correios são encontradas no site www.correios.com.br ou pelos telefones 3003-0100 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800 725 7282 (demais localidades).

Via Agência Brasil

Publicado em Viva Brasil

O Projeto CASA DA CRIANÇA, em parceria com o Colégio Motivo, lança a Campanha Aluno Consciente voltada para estudantes do infantil ao ensino médio. A campanha é dividida em duas ações, uma envolve os alunos do infantil e tem como objetivo arrecadar presentes para o Dia das Crianças das instituições beneficiadas pelo Projeto através do Programa Cia dos Anjos, a segunda com alunos do ensino médio para arrecadação de roupas e calçados para adolescentes atendidos pelo Núcleo Social Nassau, que também faz parte da rede de instituições parceiras do Cia dos Anjos.

Mais de 300 crianças de oito unidades de atendimento, entre abrigos públicos e creches populares, serão beneficiadas pela campanha do Dia das Crianças. A campanha segue até o dia 03 de outubro. Já a arrecadação de roupas e calçados beneficiará mais de 250 adolescentes que participam das atividades do Núcleo Social Nassau. A instituição foi construída pelo CASA DA CRIANÇA no ano de 2004, em parceria com a Cimento Nassau, e atende jovens da comunidade de Tejucupapo (Goiana, PE) com atividades extra-curriculares como oficina de música, dança, escultura com papel reciclado e informática.

A campanha Aluno Consciente está em seu segundo ano e, além do Dia das Crianças, realizou ações no Natal, São João e Volta às Aulas, arrecadando material escolar. Mais de 300 crianças foram beneficiadas com os produtos doados por estudantes do Motivo, que participam ativamente da campanha. Com ações como esta, o Projeto CASA DA CRIANÇA busca fomentar a participação cidadã desde cedo.

Cia dos Anjos – O objetivo do Programa é fortalecer o atendimento às crianças e adolescentes de instituições beneficiadas pelo Projeto CASA DA CRIANÇA através da mobilização de voluntários. Atualmente, o Cia dos Anjos beneficia  08 instituições no estado de Pernambuco, são elas: os abrigos mantidos pelo Governo do Estado Casa de Carolina, Casa da Madalena, Casa da Vovó Geralda e Casa da Harmonia; as creches Lar Esperança, Lar dos Pequeninos de Jesus e Lar de Clara; e o centro de atendimento a jovens Núcleo Social Nassau.

O Programa Cia dos Anjos mantém em sua rede de voluntários, profissionais liberais e empresas que realizam doações de produtos ou serviços nas áreas de saúde, educação, esportes, lazer, arte e cultura.

Conheça as parcerias ativas em Pernambuco:

SAÚDE

Fundação Altino Ventura – atendimento oftalmológico

Maria José Martins – atendimento odontológico

Savana Pereira  e Danielle Alcântara – otorrinolaringologia

Odontoclínica da Aeronáutica – atendimento odontológico

ARTE E CULTURA

Escola de Dança e Arte Ária Social – aulas de dança e canto

Tio Fabiano – aula de danças folclóricas e regionais

LAZER

Companhia do Riso – recreação

DOAÇÃO DE PRODUTOS

Ferreira Costa – campanhas de arrecadação de produtos com clientes

Loja C&A (Conde da Boa Vista) – roupas e calçados infantis

Loja Ri Happy Shopping Center Recife – brinquedos

VICOFARMA – medicamentos

Hotel Nannai – roupas infantis, material de cama e banho

Colégio MOTIVO – campanhas de arrecadação de material escolar e brinquedos

FRUTARIA – frutas, verduras e legumes

OBA ALIMENTOS – alimentos e consultoria nutricional.

Mais informações:

Projeto CASA DA CRIANÇA

Tel.: [81] 3467-9968
www.projetocasadacrianca.org.br

 

Publicado em Blog

cri

A poucos dias do Natal, as lojas de brinquedos ficam repletas de pais à procura de presentes para os filhos. Mas é preciso ficar atento a algumas dicas na hora da compra. Brinquedos inadequados podem trazer sérios riscos à saúde das crianças. Eis algumas recomendações para que os pais possam comprar brinquedos de forma adequada para cada idade:

- Brinquedos com ruídos excessivos podem causar sérios danos à audição;

- Evite brinquedos com formas e cheiros que imitem alimentos; as crianças tendem a engoli-los;

- Atenção aos brinquedos que possuem partes cortantes ou pontiagudas, que podem ocasionar ferimentos;

- Em hipótese alguma adquira brinquedos compostos por substâncias tóxicas ou de fácil combustão;

- Verifique prazo de validade e condições de garantia do brinquedo.

- Atenção aos brinquedos que possam levar a sufocamento (cordas, balões ou peças muito pequenas);

- Adquira o brinquedo de acordo com a faixa etária ou idade do seu filho. Por lei, os fabricantes devem transmitir essa informação no rótulo;

- Verifique se a embalagem do brinquedo possui informações sobre o fabricante (nome, CGC, endereço);

- Evite brinquedos que possam ocasionar choque elétrico;

- Os brinquedos devem conter selo de segurança fornecido pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial).

Publicado em Blog

natalEm parceria com o Instituto Materno Infantil de Pernambuco, grande homenageado do Ciclo Natalino 2010, será lançada campanha de doação de brinquedos para as crianças em tratamento

Do site da PCR

“Natal da Solidariedade”. Esse é o tema do Ciclo Natalino 2010, que teve sua programação divulgada na segunda-feira (22), pelo prefeito do recife em exercício Milton Coelho. Dentre as novidades apresentadas, estão a Árvore de Natal, com 33 metros e composta por 200 mil CDs e DVDs reciclados, que será montada em balsas no Rio Capibaribe, e a projeção de filmes natalinos nas proximidades da Ponte Mauricio de Nassau, que iluminarão as águas fluviais. Na ocasião, também foi anunciada a grade de atrações do Réveillon na capital pernambucana.

“O Ciclo Natalino será sustentado pela solidariedade e pela luz, não a que ilumina os nossos olhos, mas o coração das pessoas, dos recifenses e dos turistas. É esse o clima que queremos ofertar para todos”, explicou o prefeito do Recife em exercício Milton Coelho.

Em razão do tema deste ano, a PCR também resolveu dedica o seu Ciclo Natalino ao Instituto de Medicina Integrada Professor Fernando Figueira (IMIP), que há 50 anos vem fazendo historia no atendimento e assistência médica às famílias da Região Nordeste. “De fato a instituição expressa a solidariedade em suas atividades, primeiro no Recife, quando começou, depois em Pernambuco e hoje em todo o Brasil, onde é merecidamente reconhecido”, ressaltou o prefeito.

Presente na ocasião, o presidente do Imip, Antônio Carlos Figueira, agradeceu a iniciativa da Prefeitura. “Essa homenagem fecha o nosso ano de comemorações com chave de ouro, pois, o Natal se remete a Maria e Jesus, mãe e filho, binômio que melhor simboliza o Imip”, disse Figueira. A fim de tornar a homenagem ainda mais especial e solidária, a PCR, em parceria com o Imip, lançou uma Campanha de Doação de brinquedos, que serão enviados às crianças atendidas na instituição. Os materiais podem ser deixados no posto de arrecadação, no Marco Zero, entre os dias 28 de dezembro e 6 de janeiro.

Durante o Ciclo Natalino 2010, também serão lembrados seu Manezinho Araújo, conhecido como o Rei da Embolada, que faria 100 anos se estivesse vivo, e o centenário do Mestre Geraldo de Almeida, paraibano que aos 11 anos fugiu de casa para realizar o sonho de conhecer o Recife onde fundou o Reisado Imperial, do qual continua à frente, aos 96 anos de idade. A solenidade também foi prestigiada por diversos secretários municipais, artistas locais que se apresentarão.

O clima das festas de final de ano começa a tomar a cidade a partir do próximo domingo (28), quando será entregue a iluminação decorativa e acesa uma grande Árvore de Natal. Mas, a abertura oficial do evento será realizada no dia 12 de dezembro, com o show da Orquestra Sinfônica do Recife e participação especial de Ivan Lins e Nelson Ayres, no Marco Zero. A partir daí, várias atrações culturais e musicais, que incluem rock, pop, frevo, samba e outros ritmos, se espalham pelas seis RPAs do Recife, até dia 06 de janeiro de 2011.

Publicado em Blog
Sexta, 08 Outubro 2010 15:52

Consumo responsável no Dia das Crianças

img_crianca_consumo_destInstituto Brasileiro de Defesa do Consumidor orienta para a segurança dos filhos e tranquilidade econômica dos pais

O Dia das Crianças está entre as datas do ano de maior consumo das famílias brasileiras. Por isso, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) orienta para que esse momento de comemoração, de reunião familiar, não seja um transtorno causado pelo consumo desenfreado, ou pela escolha de presentes inadequados ou inseguros para as crianças.

Nessa ocasião, vale lembrar, que os preços aumentam, impulsionados, naturalmente, pela demanda; as lojas ficam lotadas; e as várias ofertas e publicidades, voltadas, inclusive, para o público infantil (mais vulnerável do que o consumidor comum) compõem a receita perfeita para o estresse, endividamento e compras desnecessárias.

Cabe aos pais refletirem sobre a opção que melhor satisfaça a sua família. A escolha por um passeio, por exemplo, pode ser mais proveitosa do que um brinquedo da moda que, passados alguns dias, as crianças deixam de lado, junto com outras dezenas não utilizadas em casa.

O Idec recomenda à maioria dos pais que escolherá o brinquedo para presentear seus filhos, que é possível uma compra mais segura e responsável.

Uma importante ferramenta para que isso ocorra é o direito fundamental à informação, garantida pelo Código de Defesa do Consumidor, lembra o gerente de informação do Idec, Carlos Thadeu de Oliveira. "O consumidor tem direito à informação adequada e clara sobre os produtos a serem comprados, quanto às características, preço e formas de pagamento".

Prevenindo acidentes de consumo (Dados do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior - Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial - Inmetro)

• Compre somente brinquedos que contenham o selo do Inmetro. A presença dele é obrigatória e indica que o produto, antes de ser colocado no mercado, foi submetido a ensaios em laboratórios acreditados e atendeu a requisitos de segurança.

• O selo deve estar sempre visível, impresso na embalagem, gravado ou numa etiqueta afixada no produto, e deve conter a marca do Inmetro e o logotipo do organismo acreditado pelo Inmetro que o certificou.

• Todo brinquedo importado também deve ser submetido a ensaios em laboratórios acreditados ou reconhecidos pelo Inmetro e deve trazer o selo, bem como todas as informações presentes na embalagem e no manual de instrução em língua portuguesa, bem como especificar as informações de matérias-primas usadas no mesmo.

• Selecione o brinquedo considerando a idade, o interesse e o nível de habilidade da criança. A faixa etária a que ele se destina deve constar na embalagem, assim como informações sobre o conteúdo, instruções de uso, de montagem e eventuais riscos associados à criança, além do CNPJ e do endereço do fabricante. As informações obrigatórias na embalagem demonstram a responsabilidade do fabricante ou importador.

• Se você tem filhos em idades diferentes, redobre a atenção para que os menores, em especial aqueles até 3 anos, não tenham acesso aos brinquedos dos mais velhos. Alguns produtos podem conter partes cortantes ou muito pequenas, que podem se desprender e ser ingeridas ou mesmo inaladas, causando sufocamento.

• Compre o brinquedo em pontos de venda legalmente estabelecidos, jamais em mercado paralelo. O mais barato pode sair muito caro. Ensaios conduzidos pelo Inmetro em produtos não certificados nos laboratórios evidenciaram várias irregularidades, em especial a presença de metais pesados e ftalatos, substância que pode ser nociva à saúde se utilizada acima dos limites estabelecidos pelo regulamento.

• Na hora da compra, exija nota fiscal, tíquete do caixa, recibo ou equivalente que somente empresas legalizadas possuem. Esse simples hábito pode favorecer a reclamação do consumidor no caso de o produto ser impróprio para consumo e/ou defeito do mesmo.

• Retire a embalagem do brinquedo antes de entregá-lo à criança, a fim de prevenir acidentes com grampos e similares, e até mesmo o risco de sufocamento.

• Leia com atenção as instruções de uso presentes na embalagem ou em seu interior e procure repassar estas instruções para a criança. Procure, ainda, supervisionar o uso do brinquedo pelas crianças.

• Os pais devem redobrar a atenção com brinquedos eletrônicos. Se usados indevidamente, ou se mal projetados ou construídos, podem causar graves acidentes, como choque elétrico ou queimaduras.

• Se o brinquedo estiver sem o selo do Inmetro, entre em contato com a Ouvidoria do Instituto através do telefone 0800 285 1818 ou pelo site (www.inmetro.gov.br/consumidor/formulario_acidente.asp).

O Inmetro implementou, há três anos, um sistema de monitoramento de acidentes de consumo. Com base em todos os registros, nacionais e no exterior, o Inmetro define as ações a serem tomadas, na indústria e no comércio, podendo até tornar a certificação voluntária em compulsória, como aconteceu recentemente com cadeirinhas infantis automotivas e artigos escolares, para impedir a presença de materiais inseguros no mercado. Por isso, o Idec recomenda que essa canal seja sempre utilizado, quando necessário.

Para o não endividamento

• Dê preferência aos pagamentos à vista e peça desconto.

• Pagamentos a prazo ou Crediário: Os prazos variam conforme o valor do bem financiado e a capacidade de pagamento do comprador. As taxas de juros são fixadas pelas instituições financeiras que operam com o comércio. Os riscos a que o consumidor ficará exposto dependerão da forma de financiamento: boleto bancário, cheque pré-datado ou carnês.

• Cartão de Crédito: As compras com cartão de crédito oferecem segurança e não requerem disponibilidade financeira imediata. Porém, em meio a tantas facilidades oferecidas, o consumidor se vê estimulado a fazer compras desnecessárias e acima da sua capacidade de endividamento. Cuidado com os juros! Fuja do crédito rotativo (pagamento apenas do valor mínimo da fatura), que tem juros altos e pode levá-lo à inadimplência. E não se esqueça: o preço para pagamento com cartão deve ser o mesmo do preço à vista.

• Cheque Especial ou utilização do limite de conta corrente: Só utilize em caso de emergência. A taxa de juros é muito alta e chega a ser muito superior à inflação estipulada. Em casos de dívida, uma boa opção é liquidá-la através de um empréstimo pessoal, que apresenta juros mais baixos.

• Empréstimo pessoal: é oferecido pelo banco, normalmente com juros pré-fixados, após uma análise do histórico do cliente. Como o risco de inadimplência para a instituição financeira é baixo, o empréstimo pessoal apresenta juros inferiores às taxas do cheque especial e do cartão de crédito.

• Cheque pré-datado: é uma das modalidades de financiamento mais antigas. Basta o preenchimento de uma ficha cadastral e uma rápida consulta para ter o crédito liberado. Apesar de ser muito usado pela população, o Banco Central não reconhece o cheque pré-datado como modalidade de crédito. Porém, já existe jurisprudência que garante sua validade.

Importante mesmo é fujir dos financiamentos. Comprometer-se no pagamento de um bem por um período muito longo é arriscado, pois imprevistos poderão acontecer neste intervalo. "Pechinchar e fazer pesquisas de mercado sempre é a melhor saída", ressalta Oliveira.

Segurança nas compras pela internet

• Conheça o site antes de fazer a compra. Há pessoas de má-fé que criam sites com nomes parecidos com os de marcas famosas apenas para enganar os menos atentos. Você faz a compra, não recebe o produto e, quando vai reclamar, descobre que a loja não existe. Para que isso não aconteça, pesquise muito bem antes de realizar a compra. Prefira as lojas conhecidas ou indicadas por amigos.

• Cheque se o fornecedor possui algum tipo de reclamação junto aos Procons (www.mj.gov.br/sindec) e não compre em sites reclamados.

• Além do e-mail, verifique se a loja oferece outros meios para que você possa encontrá-la caso aconteça algum problema. Confirme o endereço, o telefone, a razão social e o CNPJ.

• Empresas sediadas em outros Estados podem trazer dificuldades. Caso precise localizá-la, o Procon da cidade de origem do produto deverá ser acionado para encontrar o novo endereço, o que pode ser muito demorado.

• Não se iluda com a aparência do site nem com a facilidade de acesso. Preocupe-se em checar se a empresa possui certificado de segurança, para que seus dados não fiquem expostos na rede.

• O consumidor precisa ficar atento ao local em que realiza a transação. Não se pode efetuar compras por meio de computadores públicos (como os de lan houses, escolas e do trabalho).

• Verifique se todas as informações necessárias para a compra estão disponíveis no site: características do produto, preço, forma de pagamento, valor do frete, prazo de entrega, etc. Também deve constar o nome e o endereço do fabricante. No caso de sites internacionais, o conteúdo deve estar em português.

• Imprima toda a publicidade que encontrar no site e guarde o comprovante de pedido e de pagamento, pois poderão servir de prova caso haja algum problema no futuro. Lembre-se de que tudo o que estiver estipulado na publicidade deverá ser cumprido.

• Evite pagar antecipadamente pela encomenda. Prefira o pagamento contra-entrega, com cheque, boleto ou vale postal. Se for pagar com cartão de crédito, verifique com a administradora se há segurança nesse procedimento. Como são necessários apenas os dados pessoais, o número do cartão e a data de validade, podem ocorrer débitos indevidos em sua conta. Além disso, há o risco de o produto não ser enviado e você perder seu dinheiro, pois ficará mais difícil reivindicar seus direitos sem ter em mãos o comprovante da compra.

• Ao comprar num site estrangeiro, informe-se sobre o valor das taxas de importação e do frete. Também procure saber se a empresa tem representantes no Brasil, pois ficará mais fácil para reclamar de possíveis defeitos no produto.

• Combine com a empresa, por escrito, uma data para a entrega do produto. Se a loja não cumprir o prazo, você poderá cancelar a compra e pedir seu dinheiro de volta.

• Ao receber o produto, verifique se está em perfeitas condições de uso. Se houver irregularidades (como embalagem aberta ou avariada), devolva o produto e peça para a empresa providenciar a troca ou a devolução do dinheiro.

• Se o produto não for exatamente igual ao anunciado na propaganda, você pode exigir que se cumpra a oferta ou pedir seu dinheiro de volta.

• O Código de Defesa do Consumidor estipula um prazo de 7 dias para devolução de um produto comprado fora do estabelecimento comercial (internet, televisão, correio, porta em porta,etc.). Porém, há empresas que não devolvem o valor do frete, o que é considerada prática abusiva pelo Idec e pelos demais órgãos que compõem o Sistema Nacional de Defesa do Consumidor;

• Cuidado com promoções! Muitas vezes o preço do produto não inclui o valor do frete.

Se houver problemas

Caso alguma empresa não respeite os direitos do consumidor, ele poderá reclamar no Procon, bem como promover uma ação judicial. No entanto, é interessante que o consumidor tente primeiro entrar em acordo com a empresa, mandando uma carta registada com um prazo para ela resolver a questão.

Publicado em Blog

twitter

Apoio..................................................

mercado_etico
ive
logotipo-brahma-kumaris