Editor

.

Linha Editorial

  • "Mídia Construtiva é também lançar o olhar crítico sobre problemas, apontar falhas, denunciar. Contribuindo para a corrente que tenta transformar o negativo em positivo."

    Leia mais ...
Blog

aorquestra

Por Taíza Brito

Não há como contestar que Pernambuco é celeiro de boa música, exportando para o Brasil e mundo afora os talentos que nascem aqui. Desta vez, que se destaca no cenário nacional é o pessoal da Orquestra Contemporânea de Olinda, que depois de turnê nos Estados Unidos, com shows lotados em Nova Iorque, Washington, Chicago e Nova Orleans, aterrissa no Auditório Ibirapuera, em São paulo, para apresentação nesta sexta-feira (16).

Destaque no cenário nacional da música como um dos grupos pernambucanos que mais circulou pelo país (com cerca de 80 shows em 2008) e mais formou público no último ano, a Orquestra Contemporânea de Olinda já é dona de uma trajetória marcante na história da música de Pernambuco e agora Mundial.

O grupo foi indicado ao Grammy Latino 2009, na categoria de ''Melhor Álbum de Música Regional Brasileira, foi finalista da categoria regional do Prêmio da Música Brasileira 2009 e foi indicado pela crítica musical do New York Times.

Idealizada por Gilú (percussionista) a Orquestra é a reunião de alguns dos melhores músicos pernambucanos, que não se contentam com a formação tradicional de uma banda, com baixo, guitarra e bateria, com a junção de músicos da Orquestra de frevo com mais de 50 anos de existência.

A primeira metade responde pela base criativa: Gilú, Hugo Gila, Tiné, Maciel Salú, Rapha B. e Juliano Holanda quem vem afinada de trabalhos anteriores como Bonsucesso Samba Clube, Academia da Berlinda, Variant, DJ Dolores e Orchestra Santa Massa e Terno do Terreiro entre outros vários projetos.

Daí por diante, foi questão de poucos meses para a "big band" olindense se tornar conhecida do público. Entre shows em todo o Brasil a banda preparou um repertório que faz parte do seu primeiro álbum, lançado em 2008 e distribuído pela Som Livre (Orquestra Contemporânea de Olinda - 2008, Som Livre).

Entre grooves latinos, afro beats e ritmos pernambucanos, a Orquestra Contemporânea de Olinda construiu identidade própria, concisa, bem definida. Mérito compartilhado por um elenco de dez músicos com diferentes origens e a mesma intenção de fazer uma música nova, em todos os sentidos. Desde releituras de clássicos em ambientes vanguardistas até a doçura de linhas melódicas primorosas, pontuadas por arranjos de uma orquestra de sopro incrivelmente "encaixada" no som.

 

Por Carol Bradley, com informações do site ecoDesenvolvimento

As obras de recuperação dos estragos causados pela chuva na cidade do Rio de Janeiro devem custar cerca de R$ 250 milhões, afirmou nesta quarta-feira, 14 de abril, o prefeito da capital carioca, Eduardo Paes. Ele admitiu que o poder público falhou ao deixar que pessoas construíssem casas em áreas de risco.

Após encontro com a ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, Paes observou que no período de um ano em que está à frente da prefeitura carioca "poderia ter feito mais" para impedir as ocupações irregulares. “Há (falhas). É um misto de efeitos da tempestade que aconteceu, somada à ineficiência do poder público”, lamentou.

Em relação aos gastos para recuperação da cidade, o prefeito explicou que o valor inicial de R$ 90 milhões, solicitados ao governo federal, foi calculado ainda sob os efeitos das enchentes e que, com o passar dos dias, observa-se a necessidade de mais recursos.

“Coloquei para a ministra (Erenice Guerra) que, à medida que a coisa avança, vamos descobrindo mais problemas, mais deslizamentos, como foi o caso do Parque Nacional da Tijuca. Disse (à ministra) que encaminharei novas solicitações”, acrescentou Paes.

O prefeito revelou que deve liberar o acesso ao Parque da Tijuca nos próximos dias para que os turistas possam visitar o Cristo Redentor no feriado da semana que vem. Segundo os cálculos da prefeitura, se o parque permanecer um mês fechado, o município perde aproximadamente R$ 1 milhão em receita de turismo.

As chuvas estão chegando cada vez mais intensas, cabe às autoridades públicas se anteciparem ao problema, e promover os ajustes necessários, para que a população possa enfrentar as tempestades, sem risco de vida. O excesso de água é inevitável, porém as mortes podem ser evitadas com ações preventivas nas áreas de risco.

Que a tragédia do Rio sirva de alerta para outras cidades. As medidas precisam ser tomadas enquanto a chuva não vem; depois só resta lamentar. Porém, lamentação não traz de volta as vidas perdidas.

 

Quarta, 14 Abril 2010 20:44

O que você tem feito para uma vida melhor?

Escrito por

Esse é o tema da iniciativa Mostre Seu Valor, que busca converter o cidadão comum em agente de transformação da realidade do país

da PrimaPagina

Em vez do discurso, a ação. Essa é a proposta da campanha Mostre Seu Valor , que quer descobrir quais atributos os brasileiros consideram fundamentais para uma vida melhor, e o que todos estão dispostos a fazer para conquistá-los. A iniciativa busca converter o cidadão em agente de transformação da realidade do país, por meio do princípio "faça sua parte para melhorar o mundo".

A ideia surgiu a partir dos resultados da iniciativa Brasil Ponto a Ponto, realizada em novembro de 2008 e cujo objetivo era definir o tema do próximo Relatório de Desenvolvimento Humano, que será divulgado até junho.

Com isso, o documento abrangeria informações que fugissem dos conceitos abstratos e o cidadão comum poderia aproveitá-las melhor em seu dia a dia. A iniciativa contou com a adesão de mais de meio milhão de pessoas, que citaram valores como educação, respeito, segurança, responsabilidade, tolerância, convivência pacífica.

O resultado deu origem à campanha do PNUD Mostre Seu Valor, que defende que os "valores são formados pelas práticas", conforme explica o coordenador do Relatório de Desenvolvimento Humano, Flavio Comim. "Com o Brasil Ponto a Ponto, descobrimos que o impacto dos valores na convivência e na qualidade de vida não são desprezíveis", diz.

É aquela velha história: mudando pequenas coisas, é possível ter um resultado positivo no longo prazo. Por exemplo, se você considera o respeito um valor essencial, mas gosta de ouvir som alto depois das 22h, incomodando os vizinhos, por que não mudar esse comportamento?

A base da campanha gira em torno de pessoas que se comprometem a adotar ações para melhorar o mundo. "Todos podem exercer seu protagonismo, diariamente, por meio de pequenas práticas que levam a grandes mudanças", afirma Comim, que acrescenta que, muitas vezes, os motivos para alguns problemas interpessoais estão dentro da própria casa. Extirpando-se a raiz, transforma-se todo o resto. "É um processo de conscientização, construído aos poucos", conclui.

Converter o cidadão em protagonista significa ainda que as políticas públicas devam ser elaboradas levando em consideração a sociedade como um todo, e não apenas os governos como agentes de transformação. A busca por parcerias é uma peça chave para que as ações “de valor” se multipliquem de maneira espontânea e descentralizada, de forma que não fiquem restritas a esferas governamentais.

Novas mídias - O site Mostre o Seu Valor está no ar desde março, divulgando a campanha, que prevê que um perfil dos valores brasileiros seja esboçado. Além disso, o PNUD está desenvolvendo uma programação para fazer esse levantamento ao longo do ano. Na internet, a iniciativa recorreu ao auxílio de novas mídias sociais, como o Twitter e o Facebook. Aliás, o site de relacionamentos Facebook é a aposta de Comim para o desenvolvimento da campanha.

"A interatividade permitida pelo Facebook vai ser muito boa, porque vão ocorrer discussões interessantes", acredita. Mas a principal forma de atrair a atenção da população ainda tem sido a televisão. Em fevereiro, o PNUD lançou um vídeo de 30 segundos apoiado por reportagens no Jornal Nacional, da Rede Globo. Nele, as pessoas eram convidadas a participar da iniciativa. Em resposta, cerca de três mil pessoas acessaram a página da campanha. Também foram divulgados anúncios em revistas e jornais.

Por Carol Bradley, com informações do site ecoDesenvolvimento

Como construir uma sociedade mais justa e equilibrada? Pesquisadores, políticos e representantes da sociedade civil muitas vezes fazem esse questionamento, mas é difícil chegar a uma conclusão simples, com um assunto tão complexo, que envolve tantas variáveis. 

Pensando nisso, o Doutor em Ciências Econômicas pela Escola Central de Planejamento e Estatística de Varsóvia e professor da PUC, São Paulo, Ladislau Dowbor, elencou os mandamentos abaixo, que podem oferecer um norte na construção de uma outra governança planetária.

1 – Não comprarás os representantes do povo

Resgatar a dimensão pública do Estado: Como podemos ter mecanismos reguladores que funcionem se é o dinheiro das corporações a regular que elege os reguladores? Se as agências que avaliam risco são pagas por quem cria o risco?

Uma das propostas mais evidentes da última crise financeira, e que encontramos mencionada em quase todo o espectro político, é a necessidade de se reduzir a capacidade das corporações privadas ditarem as regras do jogo. É evidente a necessidade de se resgatar o poder regulador do estado, e para isto os políticos devem ser eleitos por pessoas de verdade, e não por pessoas jurídicas, que constituem ficções em termos de direitos humanos. Enquanto não tivermos financiamento público das campanhas, políticas que representem os interesses dos cidadãos, prevalecerão os interesses econômicos de curto prazo, os desastres ambientais e a corrupção.

2 – Não farás contas erradas

As contas têm de refletir os objetivos que visamos. O PIB indica a intensidade do uso do aparelho produtivo, mas não nos indica a utilidade do que se produz, para quem, e com que custos para o estoque de bens naturais de que o planeta dispõe. Conta como aumento do PIB um desastre ambiental, o aumento de doenças, o cerceamento de acesso a bens livres. O IDH já foi um imenso avanço, mas temos de evoluir para uma contabilidade integrada dos resultados efetivos dos nossos esforços, e particularmente da alocação de recursos financeiros, em função de um desenvolvimento que não seja apenas economicamente viável, mas também socialmente justo e ambientalmente sustentável.

3 – Não reduzirás o próximo à miséria

Algumas coisas não podem faltar a ninguém. A pobreza crítica é o drama maior, tanto pelo sofrimento que causa em si, como pela articulação com os dramas ambientais, o não acesso ao conhecimento, a deformação do perfil de produção que se desinteressa das necessidades dos que não têm capacidade aquisitiva. A ONU calcula que custaria 300 bilhões de dólares (no valor do ano 2000) tirar da miséria um bilhão de pessoas que vivem com menos de um dólar por dia. São custos ridículos quando se considera os trilhões transferidos para grupos econômicos financeiros no quadro da última crise financeira. O benefício ético é imenso. No mais longo prazo, será uma geração de crianças que terão sido alimentadas decentemente, o que se transforma em melhor aproveitamento escolar e maior produtividade na vida adulta. Em termos de estabilidade política e de segurança geral, os impactos são óbvios. Trata-se do dinheiro mais bem investido que se possa imaginar.

4 – Não privarás ninguém do direito de ganhar o seu pão

Universalizar a garantia do emprego é viável. Toda pessoa que queira ganhar o pão da sua família deve poder ter acesso ao trabalho. Num planeta onde há um mundo de coisas a fazer, inclusive para resgatar o meio ambiente, é absurdo o número de pessoas sem acesso a formas organizadas de produzir e gerar renda. Temos os recursos e os conhecimentos técnicos e organizacionais para assegurar, em cada vila ou cidade, acesso a um trabalho decente e socialmente útil. As experiências de Maharashtra na Índia demonstraram a sua viabilidade, como o mostram as numerosas experiências brasileiras, sem falar no New Deal da crise dos anos 1930. São opções onde todos ganham: o município melhora o saneamento básico, a moradia, a manutenção urbana, a policultura alimentar. As famílias passam a poder viver decentemente, e a sociedade passa a ser melhor estruturada e menos tensionada. Os gastos com seguro-desemprego se reduzem. No caso indiano, cada vila ou cidade é obrigada a ter um cadastro de iniciativas intensivas em mão de obra. Dinheiro emprestado ou criado desta forma representa investimento, melhoria de qualidade de vida, e dá excelente retorno. E argumento fundamental: assegura que todos tenham o seu lugar para participar na construção de um desenvolvimento sustentável.

5 – Não trabalharás mais de quarenta horas

Podemos trabalhar menos, e trabalharemos todos, com tempo para fazermos mais coisas interessantes na vida. A subutilização da força de trabalho é um problema planetário, ainda que desigual na sua gravidade. No Brasil, conforme vimos, com 100 milhões de pessoas na PEA, temos 31 milhões formalmente empregadas no setor privado, e nove milhões de empregados públicos. A conta não fecha. O setor informal situa-se na ordem de 50% da PEA. Uma imensa parte da nação “se vira” para sobreviver. Não podemos continuar a basear o nosso desenvolvimento em ilhas tecnológicas ultramodernas enquanto se gera uma massa de excluídos, inclusive porque se trata de equilibrar a remuneração e, consequentemente, a demanda. A redução da jornada não reduzirá o bem estar ou a riqueza da população, e sim a deslocará para novos setores mais centrados no uso do tempo livre, com mais atividades de cultura e lazer. Não precisamos necessariamente de mais carros e de mais bonecas Barbie, precisamos sim de mais qualidade de vida.

6 – Não viverás para o dinheiro

A mudança de comportamento, de estilo de vida, não constitui um sacrifício, e sim um resgate do bom senso. Neste planeta de sete bilhões de habitantes, com um aumento anual da ordem de 75 milhões, toda política envolve também uma mudança de comportamento individual e da cultura do consumo. O respeito às normas ambientais, a moderação do consumo, o cuidado no endividamento, o uso inteligente dos meios de transporte, a generalização da reciclagem, a redução do desperdício – há um conjunto de formas de organização do nosso cotidiano que passa por uma mudança de valores e de atitudes frente aos desafios econômicos, sociais e ambientais. A pergunta a se fazer a cada ato de consumo, não é só se “é bom para mim”, mas se é bem para o planeta e o bem comum, e buscar um equilíbrio razoável. Porém, grande parte da mudança do comportamento individual depende de ações públicas: as pessoas não deixarão o carro em casa (ou deixarão de tê-lo) se não houver transporte público, não farão reciclagem se não houver sistemas adequados de coleta. Precisamos de uma política pública de mudança do comportamento individual.

7 – Não ganharás dinheiro com o dinheiro dos outros
Racionalizar os sistemas de intermediação financeira é viável. A alocação final dos recursos financeiros deixou de ser organizada em função dos usos finais de estímulo e orientação de atividades econômicas e sociais, para obedecer às finalidades dos próprios intermediários financeiros. A recente crise financeira de 2008 demonstrou com clareza o caos que gera a ausência de mecanismos confiáveis de regulação no setor. Nas últimas duas décadas, temos saltado de bolha em bolha, de crise em crise, sem que a relação de forças permita a reformulação do sistema de regulação em função da produtividade sistêmica dos recursos. Enquanto não se gera uma relação de forças mais favorável, precisamos batalhar os sistemas nacionais de regulação financeira. O dinheiro não é mais produtivo onde rende mais para o intermediário: devemos buscar a produtividade sistêmica de um recurso que é público. Em última instância, os recursos devem ser tornados mais acessíveis segundo que os objetivos do seu uso sejam mais produtivos em termos sistêmicos, visando um desenvolvimento mais inclusivo e mais sustentável.

8 – Não tributarás boas iniciativas

A filosofia do imposto, de quem se cobra, e a quem se aloca, precisa ser revista. Uma política tributária equilibrada na cobrança, e reorientada na aplicação dos recursos, constitui um dos instrumentos fundamentais de que dispomos, sobretudo porque pode ser promovida por mecanismos democráticos. O eixo central não está na redução dos impostos, e sim na cobrança socialmente mais justa e na alocação mais produtiva em termos sociais e ambientais. O imposto sobre grandes fortunas é hoje essencial para reduzir o poder político das dinastias econômicas (10% das famílias do planeta é dono de 90% do patrimônio familiar acumulado no planeta). O sistema tributário tem de ser reformulado no sentido anticíclico, privilegiando atividades produtivas e penalizando as especulativas; no sentido do maior equilíbrio social ao ser fortemente progressivo; e no sentido de proteção ambiental ao taxar emissões tóxicas ou geradoras de mudança climática, bem como o uso de recursos naturais não renováveis.

9 – Não privarás o próximo do direito ao conhecimento

Travar o acesso ao conhecimento e às tecnologias sustentáveis não faz o mínimo sentido. A participação efetiva das populações nos processos de desenvolvimento sustentável envolve um denso sistema de acesso público e gratuito à informação necessária. A conectividade planetária que as novas tecnologias permitem constitui uma ampla via de acesso direto. O custo-benefício da inclusão digital generalizada é simplesmente imbatível, pois é um programa que desonera as instâncias administrativas superiores, na medida em que as comunidades com acesso à informação se tornam sujeitos do seu próprio desenvolvimento. A inclusão digital generalizada é um destravador potente do conjunto do processo de mudança que hoje se torna indispensável.

10 – Não controlarás a palavra do próximo

Democratizar a comunicação tornou-se essencial. A comunicação é uma das áreas que mais explodiu em termos de peso relativo nas transformações da sociedade. Estamos em permanência cercados de mensagens. As nossas crianças passam horas submetidas à publicidade ostensiva ou disfarçada. A indústria da comunicação, com sua fantástica concentração internacional e nacional - e a sua crescente interação entre os dois níveis - gerou uma máquina de fabricar estilos de vida, um consumismo obsessivo que reforça o elitismo, as desigualdades, o desperdício de recursos como símbolo de sucesso.
O Brasil tem mostrado que começar a construir uma vida mais digna para o “andar de baixo”, para os dois terços de excluídos, não gera tragédias para os ricos. Inclusive, numa sociedade mais equilibrada, todos passarão a viver melhor. é possível.

 

 

Quarta, 14 Abril 2010 16:33

Gel para conter deslizamento de barreiras

Escrito por

Do Pernambuco.com, em 14.04.2010

Uma das grandes novidades apresentadas esta manhã pelo prefeito João da Costa durante o anúncio da Operação Inverno 2010 foi o uso de um gel para substituir a lona plástica na contenção das barreiras.

O próprio prefeito fez um teste do produto, em uma das encostas do bairro do Ibura. O produto, feito à base de ingredientes naturais como nutrientes e cálcio, tem a propriedade de fortalecer a terra e evitar o deslizamento das barreiras. Este ano, lona e gel serão usados simultaneamente. Caso o resultado seja satisfatório, o gel será utilizado de forma mais ampla em 2011.

O Etack, nome comercial do produto, é fabricado nos Estados Unidos, país onde é utilizado há anos na impermeabilização de solos. Trata-se de um polimero acrílico que não compromete o solo. De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura, no local onde o gel é aplicado continua nascendo a vegetação normalmente.

Na verdade, o primeiro teste foi feito no Recife há dois anos no bairro do Vasco da Gama. Trata-se de uma barreira de 15 metros de extenção e nove de altura, localizada por trás da casa de número 107 da Rua Curitiba, na comunidade do Visgueiro. Até o momento, o resultado é positivo.

Os fabricantes do gel prometem uma durabilidade de cinco anos, sendo necessária uma revisão anual, quando deve ser reaplicado apenas 20% da quantidade do material utilizado na primeira aplicação. 

arecifeO prefeito do Recife, João da Costa, anunciou na manhã desta quarta-feira o montante de recursos que serão aplicados na Operação Inverno 2010. As ações foram divulgadas em evento realizado na Avenida Campo Verde, Três Carneiros, no Bairro do Ibura.

A Operação Inverno terá investimentos de R$ 43 milhões, envolvendo cerca de mil servidores municipais. Segundo o gestor, a meta é intensificar, a partir de agora, o trabalho contínuo e integrado de preparação da cidade para o período chuvoso, que é realizado durante todo ano.

Entre as atividades a serem reforçadas estão as varreduras em áreas de risco, limpeza de canais e canaletas, ações educativas e serviços de manutenção.

Durante o evento, o prefeito assinou ordem de serviço para o início das obras de contenção de encostas e drenagem na Avenida Campo Verde, onde serão investidos R$ 1.564.865,52. Depois seguiu para verificar os serviços de contenção, escadaria e drenagem da Rua Pedro Malazarte, com investimentos de R$ 1.224.277,31, anunciando para os moradores o início da licitação para obras na Rua Moacir Sales.

Balanço - Segundo a assessoria de Imprensa da Prefeitura do Recife, o trabalho desenvolvido ao longo dos últimos nove anos resultou na redução de mais de sete mil pontos de risco na cidade, o que tornou mais segura a vida de quem mora nas áreas de morro.

Entre 2001 e 2009, a Prefeitura investiu mais de R$ 350 milhões em ações de defesa civil permanente; urbanização, controle e fiscalização de áreas de risco; manutenção de escadarias e muros de arrimo; manutenção e retificação dos sistemas de micro e macrodrenagem.

De janeiro até o dia 9 de abril deste ano, foram registradas 2.346 ocorrências no Recife. Foram 1.363 solicitações de lona, 966 solicitações de vistorias, seis pequenos deslizamentos de barreira e seis árvores em risco.

oram registrados ainda danos em duas residências, dois muros e um poste em risco. Neste mesmo período, a Codecir realizou mais de três mil vistorias e colocou quase 130 mil m2 de lonas plásticas. Foram realizados ainda 1.202 atendimentos nas regionais.

O trabalho preventivo e permanente nos morros, por meio do Programa Guarda-Chuva, integra diversas secretarias e órgãos da Prefeitura do Recife. Participam das ações a Empresa de Urbanização do Recife (URB), o Instituto de Assistência Social e Cidadania (Iasc), a Guarda Municipal, a Companhia de Trânsito e Transporte (CTTU), a Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação, Dircon, Secretaria de Direitos Humanos e a Coordenadoria de Orçamento Participativo e Participação Popular.

Serviço:
Defesa Civil: 0800-081.3400.

Quarta, 14 Abril 2010 14:01

Lula propõe fim dos armamentos nucleares

Escrito por

lula_e_obama_okPor Carol Bradley, com informações do site UOL

O presidente Lula, atuando mais uma vez como agente global, pediu ontem, no último dia da Cúpula de Segurança Nuclear, em Washington, que todos os países eliminem o arsenal nuclear para neutralizar a possibilidade de que organizações terroristas tenham acesso a bombas atômicas.

"O modo mais eficaz de se reduzir os riscos de que agentes não-estatais utilizem explosivos nucleares é a eliminação total e irreversível de todos os arsenais nucleares," disse o presidente, em reunião com os líderes de outras 46 nações que participam do encontro.

O presidente ainda lembrou que o programa nuclear brasileiro tem fins estritamente pacíficos e possui uma legislação robusta, eficiente e adequada para prevenir o terrorismo nuclear.  A Cúpula de Segurança Nuclear foi convocada pelos norte-americanos, que classificam o terrorismo atômico como a ameaça mais grave e iminente à segurança mundial. Atualmente, nove países têm a bomba atômica.

De fato, a preocupação dos Estados Unidos tem fundamento. Os grupos terroristas atuam de forma cada vez mais sofisticada, usando a tecnologia como aliada dos seus objetivos. E, caso tenham acesso às armas nucleares, a destruição poderia ser enorme.

 Porém, os norte-americanos também patrocinam suas guerras infundadas e espalham o terror nas áreas de conflito. Portanto, o único caminho viável para a paz é o proposto pelo nosso presidente: o desarmamento total e completo. Agora, resta observar se países que falam tanto em paz e democracia, como os Estados Unidos, vão sair do discurso para a prática pacífica. 

 

Terça, 13 Abril 2010 15:25

Contador do bem

Escrito por

ContadorPor Taíza Brito

Quem passa pela Avenida Agamenon Magalhães, no sentido Olinda Boa Viagem,  depara-se com um “contador do bem”.

E o que é “contador do bem”? É um painél luminoso que faz parte da campanha “O bem faz o bem”, criada pela agência Gruponove para celebrar os 40 anos do Grupo Nordeste, e conta os números de boas ações que as pessoas praticam diariamente.

O “contador do bem” reproduz o número de posts do www.obemfazbem.com, no qual qualquer pessoa pode inserir pequenos gestos de solidariedade praticados durante o dia. A cada três boas ações registradas o valor de R$1 é revertido para instituições filantrópicas.

A campanha da Gruponove tem a proposta de mostrar como pequenas ações podem gerar resultados positivos, além de reforçar o compromisso da empresa com a responsabilidade social e com o desenvolvimento sustentável.

“Há 40 anos o Grupo Nordeste trabalha pelo bem estar das pessoas, pois oferece muito mais do que segurança, oferece tranqüilidade para os seus clientes e para a sociedade como um todo, além disso, possui ações de responsabilidade social, como o Arte e Vida, por exemplo, instituição adotada pela empresa que visa complementar a educação de crianças em situação de risco do grande Recife. Por isso apostamos nessa bela campanha, que acima de tudo, visa promover boas atitudes das pessoas”, afirma Cecília Macêdo, gerente de marketing do Grupo Nordeste.

Também foi criado um filme de 30 segundos para televisão que está sendo veiculado nas praças de Recife, Natal, João Pessoa, Maceió, Salvador, Aracaju, Teresina e Fortaleza. Foram desenvolvidos ainda anúncios impressos para a Folha de Pernambuco, Correio da Paraíba e Jornal da Paraíba. A campanha também está sendo trabalhada em todas as edições das revistas Algomais, Algomais Regional e Negócios PE.

No Recife, estão veiculados backbus e frontlights. Também foram distribuídos saquinhos de TNT em sinais de trânsito para servirem de lixeira em carros e fitinhas parecidas com as do Senhor do Bonfim com o mote da campanha, distribuídas em escolas e locais públicos. Nas outras praças, foram criados frontlights e painéis de estrada em pontos de grande visibilidade.

Quarenta e seis projetos foram selecionados no edital do Cine Mais Cultura em Pernambuco, divulgado em solenidade realizada ontem (12) no Recife pelo Ministério da Cultura.

A iniciativa, efetivada por meio da Secretaria de Articulação Institucional em parceria com Fundação do Patrimônio Artístico e Histórico de Pernambuco (Fundarpe), disponibiliza equipamento audiovisual de projeção digital, obras brasileiras do catálogo da Programadora Brasil e oficina de capacitação cineclubista, atendendo prioritariamente periferias de grandes centros urbanos e municípios, de acordo com os indicadores utilizados pelo Programa Territórios da Cidadania.

Contemplados:

Região Metropolitana do Recife

1. Maracatu Piaba de Ouro (Olinda)

2. Centro SUVAG de Pernambuco (Recife)

3. Associação Satélite (Olinda)

4. Unacomo (Olinda)

5. Associação Pernambucana de Teatro de Bonecos – APTB (Recife)

6. Diálogos (Olinda)

7. Graúna – Juventude, Gênero, Arte e Desenvolvimento (Olinda)

8. Associação dos Artistas Plásticos de Fernando de Noronha (Fernando de Noronha)

9. Associação Teatral Ato – Art’s ATA (Itamaracá)

10. Grêmio Recreativo Escola de Samba Preto velho (Olinda)

11. Movimento de Articulação Ambiental e Cultural- MAAC (Recife)

12. Centro de Atendimento a Meninos e Meninas – CAMM (Recife)

13. Sociedade Cultural Pernambuco na Estrada (Recife)

14. Nave- Sociedade de Arte e Tecnologia (Recife)

15. Laboratório de Intervenção Artística – Laia (Camaragibe)

16. Lar de Sandro (Recife)

17. Espaço Cultural de Santo Amaro (Recife)

Zona da Mata

18. Sociedade de Cultura Artística 22 de Novembro (Paudalho)

19. Grupo Cultural dos Palmares – Grucalp (Palmares)

20. Ponto de Cultura Retretas – Filarmônica 28 de Junho (Condado)

21. Associação dos Filhos e Amigos de Vicência (Vicência)

22. Associação Cultural dos Mamulenguieros e Artesãos de Glória do Goitá (Glória do Goitá)

23. Centro de Educação Musical de Joaquim Nabuco (Joaquim Nabuco)

Agreste

24. Grupo de Apoio aos Meninos de Rua – GAMR (Gravatá)

25. Cia. de Eventos Lionarte (Limoeirol)

26. Associação Caruaruense de Ensino Superior – Asces (Caruaru)

27. Associação do Comércio da Indústria e Agroindustrial de Garanhuns (Garanhuns)

28. Centro de Criação Galpão das Artes (Limoeiro)

29. Sociedade Musical Padre Ibiapina (Taquaritinga do Norte)

30. Associação de Desenvolvimento e Assistência Social de Taquaritinga do Norte – Adastaq (Taquaritinga do Norte)

31. Centro de Artesanato Tareco e Mariola de Belo Jardim (Belo Jardim)

32. Associação Capoeira e Taekwon-do: O pé do clã (Brejo da Madre Deus)

Sertão

33. Associação e Movimento Comunitário Aliança (Arcoverde)

34. Federação das Associações Comunitárias do Cedro – Faced (Cedro)

35. Associação dos Artesãos e Artistas Populares de Sertânia (Sertânia)

36. Associação Nação Coripós (Santa Maria da Boa Vista)

37. Associação de Arte e Cultura de Jatobá (Jatobá)

38. Instituto Chico Torres (Salgueiro)

39. Jovem Sertão (Petrolina)

40. Associação Cultural, Artística e Social Raízes (Petrolina)

41. Associação das Mulheres de Ibimirim – AMI (Ibimirim)

42. Associação Cultural Pedra do Reino (São José do Belmonte)

43. Maracatu Nação Matingueiros (Petrolina)

44. Associação São Geraldo (Arcoverde)

45. Associação Solidária de Pais e Amigos de Pessoas com Necessidades Especiais (Belém de São Francisco)

46. Associação Urucungo (Arcoverde)

Terça, 13 Abril 2010 13:25

Cena que não se quer mais ver!

Escrito por

adesmatamento

Por Taíza Brito, com informações da Assessoria de Imprensa da CPRH

Infelizmente cenas como a da foto acima ainda são comuns em Pernambuco e Brasil afora. A imagem registra o maior flagrante de desmatamento feito por fiscais da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), segundo a assessoria de imprensa do órgão, desde o início das fiscalizações na área florestal, ocorridas após 2006, quando essa atribuição passou do Ibama para os Estados.

O crime ambiental aconteceu numa fazenda de criação de gado do município de Maraial, na Mata Sul de Pernambuco, onde os técnicos da CPRH estiveram no último dia 8 de abril.

Além de constatar o desmatamento de 21 hectares de Mata Atlântica, eles ainda fizeram uma apreensão recorde de madeira ilegal na propriedade.  Parte do desmatamento, feito para plantio de capim, ocorreu em terreno com declive acima de 45 graus e em margem de rio, consideradas Áreas de Preservação Permanente (APP).

Em alguns pontos, houve queimadas na vegetação sob linhas de transmissão, o que poderia causar a queda do fornecimento de energia. Nessa grande área de supressão de vegetação, mensurada por GPS, a equipe da Agência encontrou pelo menos 300 estéres de madeira, o equivalente a 100 toneladas, o que motivou um auto de apreensão da lenha.

Como o desmatamento foi em região de Mata Atlântica - bioma protegido por leis específicas -, a multa deve chegar a R$ 5 mil por hectare desmatado. O proprietário também será obrigado a recuperar toda a área degradada.

“O trabalho que a CPRH vem fazendo está surtindo efeitos positivos no controle do desmatamento em Pernambuco, de uma forma significativa. A atuação será ainda mais intensificada nos próximos dias. Os novos agentes ambientais admitidos pelo recente concurso têm consciência da importância do seu trabalho e contam também com o apoio da população, levando muito a sério suas ações pela preservação de nossas matas", comentou o diretor presidente da Agência Ambiental, Hélio Gurgel. 

Os fiscais da CPRH chegaram à área depois de receber denúncia sobre o desmatamento. Esse procedimento pode ser feito via Internet pelo site www.cprh.pe.gov.br. Também pelo telefone (81) 3182.8923. Os fiscais garantem o sigilo da fonte. A natureza agradece. 

As cadeiras infantis para uso em veículo não têm um modelo único, variando de acordo com a idade da criança. Por isso, antes de adquirir uma é preciso saber qual é o modelo adequado. Seguem dicas de modelos e uso:

acadeira1Bebê conforto ou conversível
As Crianças com até um ano de idade deverão utilizar, obrigatoriamente, o dispositivo de retenção denominado “bebê conforto ou conversível”

Peso e Idade - Desde o nascimento até 9 ou 13 Kg, conforme recomendação do fabricante, ou até 1 ano de idade.

Posição - Voltada para o vidro traseiro, com leve inclinação, conforme instruções do fabricante, de costas para o movimento, sempre no banco de trás.

acadeira2Cadeira de segurança
As crianças com idade superior a um ano e inferior ou igual a quatro anos deverão utilizar, obrigatoriamente, o dispositivo de retenção denominado “cadeirinha”

Peso e Idade - De 9 a 18 Kg, aproximadamente de 1 a 4 anos de idade.

Posição - Voltada para frente, na posição vertical, no banco de trás.

acadeira4Assento de elevação ou “booster”
As crianças com idade superior a quatro anos e inferior ou igual a sete anos e meio deverão utilizar o dispositivo de retenção denominado “assento de elevação”.

Peso e Idade - De 18 até 36 Kg, aproximadamente de 4 a 10 anos de idade.

Posição - No banco traseiro com cinto de três pontos.

acadeira5Cinto de segurança de três pontos
As crianças com idade superior a sete anos e meio e inferior ou igual a dez anos deverão utilizar o cinto de segurança do veículo

Peso e Idade - Acima de 36 Kg e no mínimo 1,45m de altura – aproximadamente 10 anos de idade

Posição - Até 10 anos de idade, no banco traseiro do carro, com cinto de três pontos.


Também existem alguns erros que devem ser evitados na compra da cadeira, como:

• Nunca coloque criança menor de um ano de idade ou com menos de 9kgs em uma cadeira de segurança virada de frente para o câmbio do carro;
• Verifique se a cadeira está bem presa ao banco do carro, coloque a criança de modo correto em sua cadeira de segurança;
• Nunca instale a cadeira no banco da frente.

Por taíza Brito, com informações do jornal A Tarde

O jornal A Tarde, na Bahia, trouxe um lembrete importante para os pais na sua edição do último domingo: dentro de 60 dias o uso de cadeiras especiais para crianças em veículos passa a ser obrigatório.

A data de entrada em vigor da nova lei é 9 de junho, quando as autoridades de trânsito começarão a cobrar o uso de assentos de segurança para crianças de até 7 anos de idade nos bancos traseiros de veículos de passeio.

A expectativa é de uma redução de até 70% no número de crianças vítimas de acidentes de trânsito no País. Segundo dados do Ministério da Saúde, em média, 5 mil crianças de até 14 anos morrem por ano e outras 130 mil são hospitalizadas por conta de acidentes de trânsito.

Apesar do avanço, a resolução do Contran apresenta pontos passíveis de crítica. O documento regulamenta o uso dos assentos especiais para crianças apenas em carros de passeios, sem obrigar carros de transporte escolar a utilizá-los. Também não serão fiscalizados táxis e veículos alugados.

A desobediência à lei é penalizada como infração gravíssima e a multa terá o valor de R$ 191,54 mais a perda de 7 pontos na carteira. Além disso, a cadeira (se nacional) deve ser certificada pelo INMETRO.

Segunda, 12 Abril 2010 15:55

Colaboradores apostam na mídia de paz

Escrito por

O Blog Viva Pernambuco passou a contar esta semana com a colaboração de Marcelo Pelizzoli, doutor em Filosofia e professor na Universidade Federal de Pernambuco, que vai assinar artigos periodicamente na nossa página, com o primeiro publicado hoje (12).

O professor junta-se a outros nomes que estão apostando na proposta de mídia de paz do blog, entre eles Rildo Veras (sociólogo, atualmente ocupando a Assessoria Especial para Diversidade Sexual do Governo de Pernambuco), Francisco Caporal (engenheiro agrônomo, doutor pelo programa de Agroecologia Campesinado e Historia da Universidade de Córdoba e presidente da Associação Brasileira de Agroecologia), Edenjonhson da Silva Pinto (líder da Comunidade da Ilha de Santa Terezinha, no bairro de Santo Amaro, no Recife) e Ayrton Maciel (presidente do Sindicato de Jornalistas de Pernambuco).

 Àqueles que se sentirem instados a colaborar com artigos ou sugestões o canal de comunicação está permanentemente aberto. Os e-mails podem ser enviados para qualquer um dos editores – clicando no link das fotos acessa-se o e-mail de cada um.                                        

Por Carol Bradley, com informações de O Estadão

O Brasil, que já era considerado um país privilegiado em função dos níveis de água doce que possui em seu território, agora ganha mais um motivo para comemorar.

É que, pesquisadores da Universidade Federal do Pará (UFPA), afirmam ter descoberto o maior aquífero do mundo.A imensa reserva subterrânea, localizada sob os Estados do Pará, Amazonas e Amapá tem o nome provisório de Aquífero Alter do Chão - em referência à cidade de mesmo nome, centro turístico perto de Santarém.

"Temos estudos pontuais e vários dados coletados ao longo de mais de 30 anos que nos permitem dizer que se trata da maior reserva de água doce subterrânea do planeta. É maior em espessura que o Aquífero Guarani, considerado pela comunidade científica o maior do mundo", assegura Milton Matta, geólogo da UFPA.

A capacidade do aqüífero ainda não foi estabelecida. No entanto, dados preliminares indicam uma área de 437,5 mil quilômetros quadrados e espessura média de 545 metros. Segundo Matta, apesar de as dimensões da reserva não terem sido ainda mapeadas, a água que sai do aquífero abastece 100% de Santarém e quase toda Manaus. "A vazão dos poços perfurados na região do aquífero é outro indício de que sua reserva é muito grande."

Para o geólogo Ricardo Hirata, do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo, a comparação com o Guarani é interessante como referência, mas complicada. "O Guarani é um aquífero extremamente importante para o Brasil e para a América Latina, mas não é o maior do mundo. Há pelo menos um aquífero, na Austrália, que é maior que o Guarani", contesta.

Porém, Matta afirma categoricamente que o Aquífero Alter do Chão pode abastecer toda a população do mundo por centenas de anos. O próximo passo do pesquisador é conseguir financiamento para um estudo sistemático da reserva subterrânea. Ele já concluiu um projeto para pedir recursos ao Banco Mundial.

Certamente, uma pesquisa que merece todo apoio, já que a água é um bem natural, considerado, cada vez mais, precioso. Independente de ser, ou não, a maior do mundo, uma reserva desse porte merece toda atenção, tanto dos pequisadores, quanto dos órgãos públicos e da sociedade civil. 

acine2O Ministério da Cultura anuncia na próxima segunda-feira, no Recife, quais foram os projetos selecionados no edital do Cine Mais Cultura de Pernambuco. A cerimônia acontece no Cine São Luiz,  a partir das 10h.

O edital selecionou 46 projetos de entidades privadas sem fins lucrativos que desenvolvem ações de exibição de obras audiovisuais, com investimento de R$ 690 mil – sendo 67% de recursos do Ministério da Cultura e 33% do Governo do Estado. As entidades contempladas receberão equipamentos de projeção cinematográfica e filmes da Programadora Brasil (http://www.programadorabrasil.org.br/) para promover exibições gratuitas para a população.

O Cine Mais Cultura é uma ação do Programa Mais Cultura para promover o acesso da população a obras audiovisuais e apoiar a difusão da produção audiovisual brasileira por meio da exibição não comercial de filmes. A prioridade é atender localidades rurais e urbanas que não possuem cinema, localizadas nos Territórios da Cidadania e nas periferias dos grandes centros urbanos.

Participam da cerimônia no Recife a secretária de Articulação Institucional do Ministério da Cultura, Silvana Meireles; a chefe da Representação Regional Nordeste do MinC, Tarciana Portella; e a presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Luciana Azevedo.

Atualmente, as salas comerciais de cinema estão concentradas em apenas 8% dos municípios brasileiros, ressalta Silvana Meireles. "Além da concentração, são poucas as obras audiovisuais nacionais exibidas na TV aberta. Com os Cines Mais Cultura, promovemos o acesso da população ao cinema e fomentamos a exibição do cinema nacional", destaca a secretária e coordenadora executiva do Programa Mais Cultura.

O edital é uma parceria do Ministério da Cultura com o Governo do Estado de Pernambuco. “A partir de 2009, nós passamos a lançar editais estaduais de Cine para ampliar a ação. Assim, estamos criando uma rede nacional de cines, envolvendo sociedade civil e os governos federal, estaduais e municipais”, destaca Frederico Cardoso, coordenador executivo do Cine Mais Cultura.

Ele explica que após o processo de seleção, os 46 novos Cines pernambucanos passarão a existir em rede, levando à população obras audiovisuais brasileiras e incentivando o debates em torno das mesmas.

Capacitação – Além de fornecer equipamentos e acervo, o Cine Mais Cultura realiza oficinas de capacitação cineclubista com o objetivo de qualificar os participantes para a realização de programação, divulgação e debates das sessões; apoiar a formação dos oficinandos com introdução à história do cinema e linguagem cinematográfica; prestar informações sobre questões relevantes e atuais relativas à atividade exibidora, como direitos autorais e sustentabilidade. 

Serviço:

Local: Cine São Luiz - Rua da Aurora, 157 - Boa Vista - Recife
Data: 12.04.2010
Hora: 10h
 

Sexta, 09 Abril 2010 14:39

Calçados Ecológicos em prol do meio ambiente

Escrito por

pelCom apoio de Pelé, empresa quer compensar utilização de pneus

 A Goóc, referência nacional em calçados e acessórios ecológicos, lança neste sábado o Projeto 2014. Apadrinhada pelo “rei” Pelé, a campanha tem como principal objetivo conscientizar a população a adotar o hábito de usar sandálias de pneu reciclado para, com isso, pagar seu consumo. 

De acordo com estudos realizados pela empresa, o brasileiro usa, em média, um pneu a cada cinco anos, independente de possuir carro ou não. Por isso, a marca quer estimular o uso das sandálias de pneus reciclados em vez de utilizar outras matérias primas que acabam por acumular mais lixo. 

 pneus-velhosCom a iniciativa, a empresa pretende gerar aproximadamente 10 mil empregos novos, até 2014. “O Projeto 2014 vai ajudar muito o meio ambiente. Juntos, vamos tornar o Brasil o primeiro do mundo em sandália de pneu reciclado”,  comenta Pelé. “Em lugar de copiar da Europa ou dos Estados Unidos, a Goóc desenvolveu um produto 100% brasileiro”, completa Thai Quang Nghia fundador e proprietário da empresa. 

 

bateriaAs baterias de carro contêm substâncias altamente tóxicas, como o chumbo ácido. Por isso, quando for trocar o equipamento certifique-se que ela seja devolvida ao fabricante para ser reciclada.

Você ainda pode deixar a bateria em uma concessionária ou com um mecânico de confiança. Estabelecimentos de venda devem disponibilizar pontos de coleta para esse tipo de produto.

Uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), em vigor desde 5 de novembro de 2008, estabelece limites máximos para substâncias perigosas como chumbo, cádmio e mercúrio nesses produtos, além de critérios e padrões para o seu gerenciamento ambientalmente adequado.

appl

Por Éricka Melo

A Associação Pernambucana dos Portadores de Leucemia promove o Domingão da APPL, no próximo dia 11, com realização de bingo que terá renda revertida para a instituição. O evento será realizado no Círculo Militar do Recife, na avenida Agamenon Magalhães, 2807, no bairro da Boa Vista, a partir das 10h.

A APPL é uma instituição sem fins lucrativos que disponibiliza hospedagem, alimentação e apoio aos portadores de leucemia com a ajuda de voluntários e colaboradores, que travam uma luta diária em prol dos portadores de leucemia. São ações para arrecadar doações, sejam elas financeiras ou campanhas solicitando roupas, sapatos, alimentos, material de limpeza, objetos usados e copos descartáveis.

A associação também organiza uma vez por mês um bazar beneficente e um pedágio no trânsito com voluntários arrecadando doações em dinheiro dos motoristas. O desta semana aconteceu durante todo o dia de hoje (8), em frente à sede da instituição, na avenida Joaquim Nabuco, no Derby.

Quem quiser ajudar a instituição pode ainda adquirir produtos na lojinha da instituição, que funciona diariamente das 8h às 18h, onde são vendidos artesanatos, pesos de porta, panos de balcão, panos de pratos, mandalas decorativas, bolsas, bijuterias, bonecos de pano, almofadas e roupas confeccionados pelos voluntários ou arrecadadas nas doações.

 Leucemia não é contagiosa, sua solidariedade pode ser.

 

Colabore:

Tornando-se um voluntário (procure a sede da APPL);

Doando roupas, sapatos e qualquer objeto usado, para a lojinha;

Tornando-se um colaborador, contribuindo mensalmente com a instituição.

 

Serviço:

Associação Pernambucana dos Portadores de Leucemia (APPL)

Rua Joaquim Nabuco, 343, bairro das Graças, Recife (PE)

Fone: (81) 3421-8385

aparabolicaObjetivo da Fundação Palmares orientar técnicos e gestores de instituições de cultura afro-brasileira sobre os financiamentos na cultura

Nos próximos dias 12 e 13  de abril,  uma equipe da Fundação Cultural Palmares estará no Recife  com o Projeto Parabólica Palmares que acontecerá em dez capitais com o objetivo de orientar gestores e técnicos de instituições de cultura afro-brasileira, agentes culturais, políticos, artistas e produtores, a fim de garantir sua participação nas seleções por meio do poder público, assim como informá-los sobre formas e possibilidades existentes de financiamento da cultura. Para isso, será realizado um ciclo de palestras com orientações básicas a respeito da elaboração de trabalhos e captação de recursos.
 
Os Estados foram selecionados a partir de uma pesquisa quantitativa de projetos recebidos pela Fundação nos últimos dois anos. Essas escolhas foram realizadas por meio de um mapeamento dos estados que mais apresentaram projetos ou buscaram informações junto à Fundação, incluindo os candidatos a editais e seleções públicas.
 
O Projeto Parabólica tem por finalidade promover o diálogo direto entre o governo e os agentes sociais interessados no desenvolvimento de políticas públicas e projetos que promovam e disseminem a cultura afro-brasileira.o Parabólica visa buscar caminhos diretos e simplificados para viabilizar a ação interativa e dinâmica da cultura negra e conta com o apoio da Fundação de Patrimônio artístico e Histórico de Pernambuco - FUNDARPE , das Prefeituras de Recife, Olinda e Jaboatão.
 
As inscrições estão sendo feitas pelo site da Fundação Palmares (www.palmares.gov.br), no Núcleo de Cultura Afrobrasileira, na Fundarpe  (1º andar - Diretoria de Gestão do Funcultura) ou presenciais.O número de vagas é limitado.

Pesquisa - O Parabólica acontecerá em dez capitais, selecionadas a partir de uma pesquisa quantitativa de projetos recebidos pela Fundação Cultural Palmares nos últimos dois anos. Essas escolhas foram realizadas por meio de um mapeamento dos Estados que mais apresentaram projetos ou buscaram informações junto à Fundação, incluindo os candidatos a editais e seleções públicas. 

O Projeto Parabólica tem por finalidade promover o diálogo direto entre o governo e os agentes sociais interessados no desenvolvimento de políticas públicas e projetos que promovam e disseminem a cultura afro-brasileira.

Coordenado pelo Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-brasileira (DEP), da Fundação Cultural Palmares (FCP), vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), visa buscar caminhos diretos e simplificados para viabilizar a ação interativa e dinâmica da cultura negra.

Entre as metas do projeto está a del construir uma metodologia participativa entre a FCP/MinC e os interlocutores civis, tornando viável a formulação e execução de políticas públicas de forma democrática.

apetrolinaPor Ed Wanderley, no site diariodepernambuco.com.br, em 08.04.2010

O Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajop) encaminha na tarde desta quinta-feira (08), uma comunicação à Organização das Nações Unidas (ONU), em Genebra, na Suiça, a respeito dos crimes cometidos contra José Alex Soares da Silva e Diego Pereira Cruz, ambos de 19 anos, vítimas de sessões de espancamento no início de janeiro deste ano.

Eles foram agredidos após serem confundidos com assaltantes que teriam roubado um posto de combustíveis na BR-428, em Petrolina, no sertão do Estado. José Alex morreu três dias depois, enquanto Diego Cruz passou 39 dias preso, acusado de um crime que não cometeu.

O documento é destinado ao Gabinete do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos e será remetido simultaneamente a três relatorias especiais da instituição: Execuções Sumárias, Racismo e Tortura. No texto, uma crítica dura denuncia à “persistente inaptidão do Estado brasileiro em cumprir as recomendações dos organismos e mecanismos internacionais de proteção e efetiva aplicação e construção de uma política de respeito aos direitos humanos”.

Por fim, a comunicação solicita eficácia no acompanhamento dos inquéritos policiais e a reiteração da necessidade de cobrança do Governo brasileiro no que diz respeito à oferta de condições sociais que não permitam que crimes do gênero voltem a acontecer.

De acordo com o coordenador do Programa de Direitos Humanos Internacionais do Gajop, o objetivo é utilizar a influência política da ONU junto ao Governo brasileiro, de forma a garantir a justiça. “Queremos que o processo seja encarado de forma séria, rápida e sem impedimentos. Em especial no que diz respeito à investigação de tortura policial, para que o processo não seja ‘esquecido’”, afirma.

O inquérito que apura as supostas sessões de tortura, promovidas por policiais, a Diego Cruz, continua em aberto. O delegado da polícia civil Jean Rockfeller afirma que não deve se pronunciar sobre o assunto para não atrapalhar as investigações, mas garante que o processo já está bem encaminhado. “Todos os esclarecimentos serão prestados na hora certa”, garante.

Desdobramentos – Quatro dos cinco acusados pelo homicídio triplamente qualificado de José Alex Soares da Silva e pela tentativa de homicídio contra Diego Cruz, continuam foragidos. A prisão preventiva do grupo foi decretada desde o último dia 30 de março, mas, até o momento, a polícia civil não conseguiu localizá-los.

De acordo com o delegado Manoel Martins, responsável pelas buscas, a suspeita é de que o grupo esteja refugiado fora do Estado. “Já temos pistas, mas ainda não conseguimos nada de concreto. As investigações continuam para que possamos realizar estas prisões”. Todos os acusados devem se apresentar até o próximo dia 29 de abril, quando será realizada a primeira audiência de instrução sobre os crimes.

Até o momento, apenas o bombeiro Gracenildo Rodrigues dos Santos foi localizado. Ele teria se apresentado voluntariamente e encontra-se recluso no 9° Grupamento de Bombeiros Militares da Bahia, onde é alocado.

A dona do posto assaltado, Maria Claudenice da Silva, 38 anos, e três funcionários do estabelecimento Nilton César Ribeiro, Eliomar do Nascimento Lopes e Adriano Roberto da Silva deixaram a cidade de Petrolina no dia 29 de março por recomendações de seus advogados e, de acordo com familiares, se apresentariam voluntariamente.

 

adoulaCom informações de Antônio Tenório, do site da Prefeitura do Recife  
 
A Secretaria de Saúde do Recife está fazendo pré-seleção para o XIV Curso de Formação de Doulas, grupo de voluntárias que auxilia as gestantes durante o pré-parto e no nascimento do bebê. As candidatas interessadas ttem até o próximo dia 20 para se inscrever.

Nesta edição, serão capacitadas aproximadamente 45 pessoas, que atuarão nas três maternidades da rede municipal, Arnaldo Marques (Ibura), Professor Bandeira Filho (Afogados) e Barros Lima (Casa Amarela). Depois de pré-selecionadas, as candidatas serão entrevistadas pelas coordenadoras das doulas de cada unidade.

 “As responsáveis pelos grupos das três maternidades conversarão com as candidatas para orientá-las sobre o trabalho que é feito com as parturientes, as particularidades e direcionamentos do acolhimento feito nas unidades”, afirma Benita Spinelli, gerente de Atenção à Saúde da Mulher, da Secretaria de Saúde do Recife.

Após essa segunda fase, haverá um curso prático e teórico com as voluntárias selecionadas e, a partir de então, passarão a integrar o grupo de doulas da rede municipal. Os requisitos que devem ser preenchidos para participar da seleção são: ser maior de 18 anos, morar na comunidade e ter disponibilidade para dar um plantão de 12 horas por semana, podendo ser diurno ou noturno.

Serviço:

O quê: Inscrição para curso de formação de doulas
Quando: até o dia 20 de abril
Onde: maternidades Arnaldo Marques (Ibura), Bandeira Filho (Afogados) e Barros Lima (Casa Amarela).

twitter

Apoio..................................................

mercado_etico
ive
logotipo-brahma-kumaris