Editor

.

Linha Editorial

  • "Mídia Construtiva é também lançar o olhar crítico sobre problemas, apontar falhas, denunciar. Contribuindo para a corrente que tenta transformar o negativo em positivo."

    Leia mais ...
Sexta, 06 Setembro 2013 14:43

Previsões confirmadas

Escrito por 
Avalie este item
(1 Votar)

Por Cesar Vanucci *

 

“Primavera não, pleno inverno.”

 (Giani Carta, jornalista)

 

Estava na cara. Confirmaram-se por inteiro as previsões dos observadores mais atentos das tricas e futricas do cenário político internacional. Eles apostaram, convictos, na hipótese de que por conta de ardilosas manobras de bastidores centradas em estratégias e conveniências geopolíticas espúrias, dissimuladas mas resolutas, a florida “primavera egípcia” iria transformar-se, de hora pra outra, num lodaçal invernoso extremo.

Assim, desafortunadamente, aconteceu. Para suprema frustração das multidões egípcias, que agitaram nas ruas seu inconformismo com relação às décadas de opressão a que se acham submetidas pelo jugo militar. O efêmero e insatisfatório ensaio de transição democrática durou brevíssimos meses.

Os verdadeiros donos do poder resolveram botar a cara novamente à mostra, indiferentes às reações da opinião pública internacional. Sabedores no íntimo de que, apesar de alguma retórica de condenação (para as arquibancadas) aos atos que eles, militares da terra dos faraós, praticaram, as grandes potências acabarão por não mover uma única palha sequer no sentido de alterar a situação imposta. Tudo vai permanecer como dantes no quartel de abrantes. E bota quartel nisso...

A violentíssima repressão desencadeada, disposta a não poupar nem mesmo lugares considerados sagrados pelas comunidades religiosas egípcias, não mostra a menor condescendência com relação a ninguém.

O episódio envolvendo o Nobel da Paz, El Baradei, prova isso de forma eloquente. Num primeiro instante, por certo desavisadamente, o ilustre personagem sentiu-se compelido a aderir ao golpe militar. Não se perturbou aparentemente com a mancha adicionada ao seu currículo de humanista e democrata, na ilusória suposição de que o movimento iria limitar-se a corrigir eventuais abusos cometidos pelo presidente fundamentalista deposto.

Mas diante da ferocidade implantada pelos “aliados”, El Baradei não teve como. Renunciou ao cargo que lhe foi outorgado pelos militares, deixando a vice-presidência do país. Tornou pública a renúncia, falando de seu inconformismo com referência ao rumo dos acontecimentos.

Não deu outra: considerado “traidor da pátria”, está sendo devidamente enquadrado nas leis de exceção que o despotismo militar egípcio propõe para garantir, na base da porrada, a ordem e a tranquilidade públicas. O novo ditador Abdul Fattahel-Sisi, a exemplo de seu antecessor Mubarak (a caminho da reabilitação), enfatiza bem seu papel no processo: “Eu e o exército somos guardiães da vontade do povo”. Então, tá.

* O jornalista Cesar Vanucci (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ) escreve semanalmente para o Blog Viva Pernambuco.

twitter

Apoio..................................................

mercado_etico
ive
logotipo-brahma-kumaris