Editor

.

Linha Editorial

  • "Mídia Construtiva é também lançar o olhar crítico sobre problemas, apontar falhas, denunciar. Contribuindo para a corrente que tenta transformar o negativo em positivo."

    Leia mais ...
+ Notícias

Por Camilo Malheiros Freire, da Rádio ONU

Uma rede brasileira de grupos comunitários, chamada “Articulação Pacari”, recebeu no mês passado um prêmio da ONU que prestigia iniciativas no desenvolvimento sustentável.

O prêmio foi oferecido pela “Iniciativa Equatorial”, que une a ONU a organizações, governos, sociedade civil e comerciantes com o fim de promover a sustentabilidade. O prêmio foi oferecido a 25 projetos no mundo inteiro que demonstraram ter um verdadeiro impacto em suas comunidades.

Conservação da Biodiversidade

Um dos premiados, a iniciativa brasileira, “Articulação Pacari”, trabalha com plantas medicinais do cerrado nos estados de Minas Gerais, Tocantins, Maranhão e Goiás. A iniciativa funciona como uma verdadeira rede socioambiental que tem por objetivo “fortalecer as práticas tradicionais de saúde e o manejo sustentável dos recursos naturais do cerrado”.

Jaqueline Evangelista, agrônoma e representante da associação, falou de Goiás à Rádio ONU, e explicou o trabalho da “Articulação Pacari” com as organizações locais.

“É um trabalho de apoio à essas organizações, que envolve desde assessoria técnica ao registro dos conhecimentos tradicionais que são a base desse trabalho, até a influencia de políticas públicas para que essa prática da medicina tradicional possa ser reconhecida social e politicamente aqui no Brasil.”

Jaqueline disse ainda que esse reconhecimento da ONU vai fortalecer o trabalho da Articulação Pacari em políticas publicas e ajudar a manter viva a medicina tradicional brasileira. Ela disse que a associação está orgulhosa de fazer parte de uma comunidade internacional que “trabalha para a conservação da biodiversidade e para a melhoria da vida das pessoas”.

Por Renata Giraldi, da Agência Brasil

Um novo modelo de ajuda para os mais pobres foi criado pelos governos dos países que integram o Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Segundo o texto, a colaboração do grupo ocorreu em um ritmo dez vezes superior ao observado no G7 – que reúne os Estados Unidos, o Japão, a Alemanha, o Reino Unido, a França, Itália e o Canadá – de 2005 a 2010.

A conclusão está em um relatório da organização internacional Global Health Strategies initiatives (GHSi) – divulgado no último dia 26 de março em Nova Delhi, na Índia – onde os líderes políticos do bloco estarão reunidos até o final desta semana. O documento informa ainda que os países do Brics criam modelos para a cooperação internacional.

Apesar de os países desenvolvidos serem os principais responsáveis por um volume maior em termos de cooperação internacional, o estudo informa que a abrangência dos esforços do Brics em termos de ajuda externa têm acompanhado o rápido crescimento de suas economias.

O documento informa também que o Brics inova ao usar recursos para melhorar a situação de saúde nos países mais pobres do mundo. Como exemplo, o documento cita a decisão do governo do Brasil – que foi um dos pioneiros nos tratamentos de HIV/aids – de apoiar a construção, em Moçambique, de uma fábrica de drogas antirretrovirais.

O relatório estima que os gastos do Brasil com ajuda externa tenham ficado entre US$ 400 milhões e US$ 1,2 bilhão em 2010 (já que o país não divulga números anuais). A Rússia teria desembolsado cerca de US$ 500 milhões no mesmo ano, enquanto a Índia teria gasto US$ 680 milhões, a China, US$ 3,9 bilhões, e a África do Sul, US$ 150 milhões.

De acordo com o texto, os fabricantes de vacinas e medicamentos genéricos da Índia também tiveram papel fundamental na redução dos preços que os países mais pobres pagam por esses produtos. Porém, o texto reconhece que o Brics ainda enfrenta seus próprios desafios em relação a seus sistemas de saúde.

O documento informa também que as cinco nações do Brics tiveram avanços recentes e implementaram programas inovadores na área. O Brasil, a Rússia, Índia, China e a África do Sul também estão coordenando esforços em setores como agricultura, ciência e tecnologia, além de investir em pesquisa e desenvolvimento, o que poderia ter um impacto direto em países pobres.

Na 4ª Cúpula dos Brics, na qual Dilma estará presente, o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, apresentará a proposta de criação do banco do desenvolvimento do bloco. A ideia é que a instituição se dedique aos investimentos em projetos de infraestrutura e desenvolvimento em nações pobres. O processo de criação do banco deve ocorrer a longo prazo.

Além de Dilma e Singh, participarão da cúpula os presidentes Dmitri Medvedev (Rússia), Hu Jintao (China) e Jacob Zuma (África do Sul). A presidenta participa das reuniões na companhia de uma comitiva de ministros e de cerca de 60 empresários.

*Com informações da BBC Brasil.

Do CicloVivo

 
A Green Guru transforma todos os tipos de material descartados em bolsas e acessórios. | Foto: Green GuruO que começou como uma pequena operação para resgatar câmaras de bicicleta de aterros sanitários, resultou na criação de uma empresa, a Green Guru, que transforma todos os tipos de materiais descartados em bolsas e acessórios.

A empresa localizada no Colorado, Estados Unidos, recolhe materiais que foram descartados e encontra maneiras de transformá-los em produtos duráveis. Eles fazem mochilas feitas a partir de câmaras de bicicleta, capas de laptop e transformam banners publicitários em produtos utilizáveis.

Davidson Lewis, fundador da companhia, cresceu trabalhando em lojas de bikes, e seu primeiro trabalho era consertar pneus furados. No final de cada dia ele tinha que tirar todas as câmaras do lixo. Quando reparou quanto dos resíduos provinha da indústria de bicicletas, ele tentou ‘salvar’ o máximo possível para poder consertar e reutilizar, ou usar para outras coisas como fixações e elásticos.

Sendo filho de artistas, que também eram “guardiães do meio ambiente”, Lewis decidiu tomar uma atitude criativa para resolver este problema. Após graduar-se em design de produto, ele desenvolveu uma linha de bolsas e acessórios com esses materiais descartados. Ao longo do tempo, outros materiais residuais foram adicionados à mistura upcycling. Agora a empresa recicla câmaras, roupas de mergulho, cordas de escalada, banners, barracas, roupas e muito mais.

Em entrevista ao site greenUPGrader ele falou sobre sua paixão pela vida e os esportes ao ar livre e afirmou que um ciclista ávido pode usar duas ou três câmaras por ano, e pelo fato do custo de obter uma nova ser semelhante ao de consertar uma velha, muitas pessoas optam por um novo e mais seguro. “Nós não queremos que o esporte ambientalmente correto, que nós gostamos, adicione todos esses resíduos para o nosso mundo por isso estamos desviando este desperdício e transformando-os em uma solução duradoura.”

Para conseguir os materiais necessários, a empresa tem parceria com lojas de bicicletas que criaram uma central de coleta, assim quando alguém chega para comprar uma nova câmara, deixam a velha lá. Eles também têm parcerias com empresas de grande porte e recebem pequenas doações pessoais.

Os produtos criados por eles são fabricados pela empresa americana Boulder também localizada no Colorado. Os objetos destacam a arte e o redirecionamento de materiais, criando um produto durável.

Para Lewis ser verde ou sustentável não é apenas reciclar mas também incluir o uso de produtos que vão durar, pois reduzem os resíduos. Seus produtos são construídos para serem duráveis e em muitos casos também são resistentes à água.

Através de anos de experimentação, a empresa cresceu o número de projetos em um catálogo de produtos orientado para o desempenho que excedem os padrões de qualidade, social e de sustentabilidade. A Green Guru acredita na mudança real, através da redução de resíduos em aterros e pela geração de empregos locais.

Em seu site, a empresa reforça o compromisso ambiental e social do trabalho. “Nosso negócio é construído sobre uma base de ações sustentáveis. Fazemos perguntas difíceis sobre os processos e criamos soluções reais que nos ajudam a reduzir o desperdício e aumentar a eficiência. Este processo beneficia a nossa organização, bem como nossos parceiros de negócios em muitos níveis diferentes. Com a quantidade de materiais que recuperamos, criamos empregos e aumentamos o número de produtos que fabricamos, somos capazes de perceber a mudança social, ambiental e econômica positiva, criando uma organização que tem a base necessária para florescer em nosso futuro”.

* Com informações do greenUPGRADER.

Quarta, 28 Março 2012 13:51

Australiano cria moto movida a ar comprimido

Escrito por

 

Por CicloVivo

O conceito da motocicleta ‘O2 Pursuit’, criado pelo australiano Dean Benstead, tem como objetivo fornecer uma alternativa de transporte sustentável aos consumidores. Tecnologias como essa se tornam cada vez mais necessárias devido ao esgotamento do petróleo e também pelo impacto ambiental gerado pelos combustíveis fósseis.

 

A moto que parece ser uma solução para tantas questões ambientais foi destaque em 2010, no principal prêmio de design da Austrália, o Melbourne Design Awards.

 

Com capacidade de atingir velocidade de até 100 km/h, ela roda em ar comprimido limpo usando tecnologia de motores desenvolvida localmente – o motor ‘DiPietro’, fornecendo uma plataforma sustentável para seu funcionamento, com benefícios na execução da própria moto e para o meio ambiente.

 

O peso da motocicleta é menor, pois não conta com tanque de combustível, aumentando a habilidade e capacidade de manobra do piloto. Mas, o veículo tem um compartimento em que é possível introduzir um cilindro de ar comprimido.

O objetivo de Benstead é demonstrar que é possível usar esta tecnologia como uma alternativa aos combustíveis fósseis e à eletricidade. “Quero explorar a viabilidade do ar como fonte alternativa de energia”, garante. Um sistema próprio transforma o ar em energia para movimentar a moto.

 

As estações de recarga seriam equipadas com compressores movidos a energia solar ou qualquer outra fonte de energia renovável criando um círculo completo de criação e utilização de energia limpa.

 

Outra vantagem é que, além de não poluir a atmosfera, a pequena moto é bastante silenciosa, ajudando na diminuição das taxas de poluição sonora dos grandes centros urbanos.

 

A moto será fabricada inteiramente com materiais reciclados. Assim, ela possuirá baixo custo de operação e funcionará em meio urbano e em uma ampla faixa de estradas, inclusive de terra. Por tratar-se de um protótipo, ainda não existe custo estimado para a comercialização.

Por Alana Gandra, da Agência Brasil

 

A organização não governamental ambientalista Greenpeace quer promover a discussão sobre o desmatamento zero durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que ocorrerá em junho, no Rio de Janeiro.

Essa será a principal bandeira da ONG durante o evento. Porém, diante da decepção dos ambientalistas em relação ao rascunho do documento que servirá de base das negociações durante a conferência, conhecido como ‘draft zero’, as manifestações do Greenpeace serão realizadas em eventos paralelos, na Cúpula dos Povos, fora da agenda oficial. 

O coordenador do Greenpeace para a Rio+20, Nilo D’Ávila, criticou a “falta de audácia” da Organização das Nações Unidas (ONU) e do governo brasileiro no sentido de construir um documento mais forte. “O ‘draft zero’ é um zero mesmo”, analisou. Para ele, “um documento que começa fraco, tende a terminar mais fraco ainda”. Por esse motivo, o Greenpeace preferiu levar os debates “para o lado de fora” da conferência oficial. “A gente quer discutir com a sociedade e levar questões importantes sobre a floresta e a matriz energética, em termos globais.”

O governo brasileiro defende o fortalecimento das fontes renováveis de energia na matriz internacional, informou à Agência Brasil o chefe do Departamento de Meio Ambiente do Itamaraty, embaixador André Corrêa do Lago. 

O embaixador, que é o principal negociador do Brasil para a Rio+20, acredita que a sociedade civil tem como função cobrar metas sejam mais ambiciosas dos governos. “Acho perfeitamente legítimo que ONGs, como o Greenpeace, se manifestem a favor de que sejam feitas mais coisas. É extremamente positivo.”

Lago espera que a sociedade influencie as decisões que serão obtidas na Rio+20. “Eu recebo com muita alegria que a sociedade civil queira mais do documento zero e faça todos os esforços possíveis para que o documento zero seja mais ambicioso. A função da sociedade civil é cobrar”, lembrou. 

D’Ávila defendeu a inclusão das mudanças climáticas entre os temas a serem debatidos na Rio+20, mas disse que o governo brasileiro parece “querer fugir da questão”. O embaixador esclareceu que existe diferença entre abordar a questão e negociar a mudança do clima. Segundo ele, as negociações sobre o clima têm o seu próprio ritmo e ocorrem dentro da ONU. “Não tem sentido nenhum a Rio+20 abordar negociação de mudança do clima. Mas abordar os temas da mudança do clima, é claro que sim”.

Outro tema que está ganhando força dentro da conferência é a proteção aos oceanos e, por extensão, às águas profundas. “É um dos pilares da discussão contemporânea do Greenpeace”, salientou Nilo D’Ávila. Ele crê que esse deverá ser um dos destaques da conferência oficial. 

A participação do Greenpeace na Rio+20 será focada na Cúpula dos Povos, reunião que deverá ocorrer paralelamente, como contraponto às negociações formais. No período, o Greenpeace abrirá à visitação pública o seu mais novo navio, o Rainbow Warrior, cujos equipamentos reúnem o que existe de mais moderno em termos de eficiência energética, aproveitamento de combustíveis e telecomunicações.

A ONG internacional montará também, no Aterro do Flamengo, um acampamento solar, onde voluntários e ativistas ficarão durante dez dias, usando apenas o sol como fonte de energia

O Diário Oficial da União publicou na última quarta-feira (21) – Dia Mundial da Síndrome de Down – um anexo que define o Manual de Atenção à Pessoa com Síndrome de Down. Os detalhes contidos no texto serão publicados no site do Ministério da Saúde (http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/index.cfm). No Brasil há cerca de 4,5 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, segundo dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o manual, o governo espera esclarecer dúvidas e colocar à disposição do público informações detalhadas sobre como proceder quanto ao diagnóstico, tratamento e acompanhamento das pessoas com deficiência. O texto da cartilha foi elaborada com o apoio do Sistema Único de Saúde (SUS), que forneceu dados sobre o atendimento e a qualificação de profissionais e equipes públicas.

Em comemoração à data, o Senado promoveu sessão especial. É a primeira vez que o dia será celebrado em 193 países, após a aprovação de uma moção apresentada pelo Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU). A sessão no Congresso foi comandada pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e contou com a presença dos ministros Maria do Rosário (Direitos Humanos) e Alexandre Padilha (Saúde). No ano passado, a presidenta Dilma Rousseff lançou o Plano Nacional da Pessoa com Deficiência – Viver Sem Limite. O objetivo é proporcionar autonomia e inclusão social aos por tadores de deficiência.

 

Por Carolina Pimentel, da Agência Brasil

Começa hoje (14) na TV aberta a campanha contra a aids no carnaval. O vídeo é apresentado por dois jovens – um homem e uma mulher – que falam sobre a doença e apresentam dados. Não há um casal homossexual, como o vídeo postado no site do Ministério da Saúde e retirado em seguida.

Na semana passada, a pasta tirou do site do Departamento de DST (doenças sexualmente transmissíveis), Aids e Hepatites Virais o vídeo com um casal gay trocando carícias em uma boate. O ministério alegou que a peça faz parte da campanha, mas para ser veiculada somente em ambientes fechados e frequentados pelo público-alvo da edição deste ano, os jovens gays de 15 a 24 anos. Foi um erro, segundo a pasta, ter disponibilizado o vídeo no site. A retirada gerou críticas de entidades da sociedade civil de combate à aids e é vista como um recuo do governo.

No vídeo para a rede nacional de TV, os jovens falam sobre a incidência da aids, o aumento de 10% de casos da doença entre os jovens gays e o uso regular de preservativos por apenas 43% dos jovens.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, explicou que a mensagem dá prioridade aos dados epidemiológicos e busca sensibilizar a juventude para o fato de que a aids não tem cura. A ideia, segundo ele, é usar estratégias de comunicação diferentes para a população em geral e o público gay.

“O conteúdo que queremos passar na TV aberta para o conjunto da sociedade não era possível fazer naquela estratégia de vídeos para o público específico”, disse.

Segundo Padilha, o vídeo colocado no site do ministério com o casal gay, retirado em seguida, nunca foi cogitado para transmissão na rede nacional de televisão. O ministério chegou a informar em sua página que os filmes para TV e internet iriam apresentar homens gays e um casal heterossexual prestes a ter relação sexual sem camisinha. Então, personagens – uma fadinha e um siri – surgiriam trazendo o preservativo. As informações não constam mais do portal.

“Foi um erro, tanto que determinei a retirada imediata. Aquele vídeo nunca foi pensado para ser colocado na TV aberta”, explicou.

O filme removido mostra um casal homossexual trocando carícias em uma boate e quando decide ter uma relação sexual, uma fadinha aparece com o preservativo. O conceito da campanha é “Na empolgação, pode rolar de tudo. Só não rola sem camisinha. Tenha sempre a sua”.

Para o presidente do Fórum de Organizações Não Governamentais Aids de São Paulo, Rodrigo Pinheiro, o vídeo para a televisão aberta é burocrático e não cativa o público-alvo. Ele discorda da decisão do governo de produzir material diferenciado para a TV aberta e os ambientes segmentados, além de defender a veiculação do filme com o casal gay na rede nacional de televisão.

“Não faz o menor sentido. Vão interromper uma festa [na boate] para colocar o vídeo”, disse. “É totalmente fora de foco. É falta de encarar o problema de frente”.

A organização pretende ingressar com uma denúncia no Ministério Público Federal contra o ministério, alegando desperdício de dinheiro público, e recorrer também a organismos internacionais de direitos humanos.

Mais em http://www.aids.gov.br/


Terça, 14 Fevereiro 2012 15:15

André Trigueiro lança Mundo Sustentável 2

Escrito por

AndreTrigueiroDo Mercado Ético

Onde a economia de baixo carbono já é realidade? Como medir o valor monetário dos serviços ambientais prestados pelos ecossistemas? Por que o país campeão mundial de água doce necessita de investimentos urgentes para evitar o colapso no abastecimento?

Essas e outras reflexões estão no mais novo livro do premiado jornalista ambiental André Trigueiro. Talvez a grande voz da sustentabilidade da atualidade no Brasil, ele lançou no último dia 13 de fevereiro, em São Paulo, o “Mundo sustentável 2 – novos rumos para um planeta em crise”. A obra reúne artigos do autor publicados em jornais e na internet, além de comentários e reportagens feitas na rádio e na TV.

Dessa vez, Trigueiro também convidou alguns notáveis da sustentabilidade para discorrerem sobre o tema. Entre eles estão o escritor indígena Marcos Terena e o sociólogo Sérgio Abranches. O prefácio ficou por conta de Washington Novaes, outro jornalista ambiental de grande destaque na mídia do país.

Leitura indispensável para todas as pessoas, preocupadas ou não com as questões socioambientais da Terra.

Todo o valor referente arrecadado com os direitos autorais de “Mundo sustentável 2” será doado para o CVV (Centro de Valorização da Vida), que está completando 50 anos de serviço voluntário de apoio emocional e prevenção do suicídio (www.cvv.org.br).

oportunidade3

Inscrições podem ser feitas, via internet, até o dia 14 de fevereiro. Remuneração varia entre R$ 1.328,40 e R$ 7.826,52

Como reflexo do bom momento que vive a economia do estado, que também impacta as micro e pequenas empresas locais, o Sebrae em Pernambuco abre processo seletivo para o preenchimento de 38 vagas de nível médio (Assistente) e superior (Analista Técnico I, II e III) no Recife e nos municípios de Cabo de Santo Agostinho, Caruaru, Serra Talhada, Garanhuns, Araripina e Petrolina.


As inscrições estão abertas e podem ser feitas via internet por meio do site www.ipad.com.br/sebraepe2012 até o dia 14 de fevereiro. A taxa de inscrição pode ser paga, por meio de boleto bancário, em qualquer agência bancária ou casa lotérica até o dia 27 de fevereiro. Para Assistente II, o valor da inscrição é de R$ 50,00. Candidatos a Analista I pagam R$ 80,00 e a Analista II e III, R$ 100,00.

Além de remuneração que varia de R$ 1.328,40 a R$ 7.826,52, os aprovados no processo seletivo terão direito a benefícios como assistência médico-hospitalar e odontológica, vale-transporte, seguro de vida em grupo e auxílio alimentação ou refeição, entre outros.

A aplicação das provas objetiva e discursiva está agendada para o dia 18 de março, em locais e horários a serem divulgados. Para as vagas de Assistente II, o candidato precisa comprovar apenas a formação completa em nível médio. Para os cargos de Analista I, II e III há vagas para profissionais de perfil generalista e com formação em áreas como Contabilidade e Direito. A depender do cargo pretendido, os candidatos serão submetidos ainda à análise de títulos e experiência profissional.

O processo seletivo tem prazo de validade de dois anos, podendo ser prorrogado por igual período. A seleção está sendo executada pelo Instituto de Planejamento e Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico e Científico (Ipad). O resultado final está previsto para ser divulgado no dia 15 de maio.

Serviço

Processo seletivo do Sebrae em Pernambuco
Vagas: 38 vagas para nível médio e superior
Cargos: Assistente II
Analista I, II e III
Remuneração: De R$ 1.328,40 a R$ 7.826,52

Inscrições: Até 14 de fevereiro pelo site www.ipad.com.br/sebraepe2012
Taxas: Assistente – R$ 50,00
Analista I – R$ 80,00
Analista II e III – R$ 100,00
Aplicação da prova: Dia 18 de março

Quinta, 09 Fevereiro 2012 20:56

LBV promove campanha pela infância brasileira

Escrito por

Foto_da_campanha_Crianca_Nota_10Iniciativa beneficia crianças e adolescentes com uniforme e material escolar

A Legião da Boa Vontade (LBV) promove em todo o Brasil, a edição 2012 de sua Campanha Criança Nota 10 — Sem Educação não há Futuro!. A iniciativa tem por objetivo despertar em meninas e meninos de 6 a 12 anos maior interesse pelos estudos, assim como ajudar os pais que não têm recursos para adquirir o material escolar.

Serão entregues uniformes e mais de 12 mil kits pedagógicos a crianças e adolescentes atendidos por meio do programa LBV — Criança: Futuro no Presente!, aplicado nos Centros Comunitários de Assistência Social da Instituição em dezenas de cidades brasileiras. Com essa ação, a LBV complementa o trabalho realizado em suas unidades de atendimento — onde oferece o apoio necessário para que crianças e adolescentes possam efetivar o aprendizado com qualidade, longe das ruas ou do isolamento —, bem como ampara famílias em situação de vulnerabilidade social, ou seja, que sofrem em decorrência da pobreza, da violência, da discriminação e de outros problemas.

Os kits são constituídos de acordo com a faixa etária dos estudantes. Entre os diversos itens, há estojo, lápis preto e de cor, canetas, apontador, borrachas, tesoura, tubos de cola, tinta guache, cadernos, papel sulfite reciclado, régua, dicionário da língua portuguesa (com a nova ortografia) e jogo pedagógico.

Educar com Espiritualidade Ecumênica

A base e o diferencial de todas as ações socioeducacionais da Legião da Boa Vontade são a Pedagogia do Afeto e a Pedagogia do Cidadão Ecumênico, que compõem a linha educacional da Instituição. Utilizada diariamente nas unidades da LBV, a proposta leva em conta o aspecto cognitivo das pessoas, sem perder de vista o potencial emocional, o sentimento delas. Essa abordagem se fundamenta na formação integral do ser humano, já que este é considerado em suas dimensões física, psicológica, social e espiritual — o que é essencial para a construção de uma sociedade verdadeiramente solidária.

Para saber mais sobre o trabalho socioeducacional da LBV em Recife/PE, basta ligar para o tel. (81) 3413.8600 ou acessar o site www.lbv.org.br. Quem desejar contribuir para a manutenção dos programas desenvolvidos pode fazê-lo pelo site www.eujudoamudar.org.

twitter

Apoio..................................................

mercado_etico
ive
logotipo-brahma-kumaris