Editor

.

Linha Editorial

  • "Mídia Construtiva é também lançar o olhar crítico sobre problemas, apontar falhas, denunciar. Contribuindo para a corrente que tenta transformar o negativo em positivo."

    Leia mais ...
Sexta, 01 Junho 2012 15:14

Membros da Comissão da Verdade são empossados

Escrito por

Por Sérgio Montenegro Filho, em matéria publicada na edição de 1 de junho de 2012, no Jornal do Comercio

O governador Eduardo Campos (PSB) empossa nesta sexta-feira, 1º de junho, os nove integrantes da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Hélder Câmara, criada para investigar crimes de sequestro, tortura, morte e desaparecimento ocorridos em Pernambuco durante os regimes de exceção de 1937-1945 (Estado Novo) e 1964-1985 (Regime Militar). A solenidade está marcada para as 16h, no Salão das Bandeiras do Palácio do Campo das Princesas. Entre os presentes – além dos integrantes da comissão, familiares de mortos e desaparecidos políticos e detentores de mandato – estará o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), que volta pela primeira vez à sede do governo desde que concluiu o mandato, em janeiro de 2007.

A cerimônia de posse será precedida por um almoço privado, às 13h, oferecido pelo governador à comissão, familiares e alguns políticos, no Salão dos Banquetes do Palácio. O prefeito do Recife, João da Costa (PT), e os três senadores pernambucanos foram convidados, mas somente Armando Monteiro Neto (PTB) e Humberto Costa (PT) participarão. Principal adversário político de Eduardo Campos, Jarbas não irá ao almoço porque pela manhã sofrerá uma cirurgia odontológica. O coordenador da Comissão Nacional da Verdade, ministro Gilson Dipp, e a deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP), que comanda a Subcomissão Parlamentar Especial de Acompanhamento da Comissão da Verdade, também participarão do almoço e da solenidade à tarde.

Escolhido para coordenar a primeira etapa dos trabalhos da comissão estadual, o advogado e ex-deputado federal Fernando Coelho discursará na cerimônia, em nome do grupo, que é composto por Henrique Mariano (presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-PE), Humberto Vieira de Melo (advogado), Roberto Franca (procurador e um dos fundadores do Gabinete de Apoio Jurídico às Organizações Populares–Gajop), Manoel Moraes (professor da disciplina de Direitos Humanos), Socorro Ferraz (historiadora e professora), Nadja Brayner (professora aposentada e ex-integrante do Comitê Brasileiro da Anistia), Pedro Eurico (ex-deputado e advogado da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Olinda e Recife), e Gilberto Marques (advogado, ligado ao Gajop).

LISTA

Todos os indicados têm, de alguma maneira, envolvimento com o processo de redemocratização do País ou ligações estreitas com o movimento pelos direitos humanos. Seis integrantes da comissão foram indicados por Eduardo Campos com base em uma lista de 12 nomes apresentada a ele por entidades da sociedade civil. Outros três nomes foram indicados por livre escolha do governador, obedecendo a lei Nº 840/12, aprovada pela Assembleia Legislativa. A Comissão Estadual tem atribuições e objetivos iguais aos da Comissão nacional da Verdade, nomeada pela presidente da República, Dilma Rousseff (PT), em maio. A intenção, segundo adiantou Fernando Coelho, é que a comissão estadual trabalhe em parceria com o grupo nacional, trocando informações e documentos.
--

Por Sucena Shkrada, do Mercado Ético

Vinte anos depois de sacudir o planeta com a Eco-92, mais uma vez as atenções do mundo se voltam ao Brasil. Assim como naquele ano, o Rio de Janeiro recebe, em junho, líderes e ativistas do mundo todo para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Ao todo, representantes de 193 nações, sendo pelo menos 116 chefes de Estado (confirmados até 11 de maio),e dos Majour Groups considerados pela ONU [1] vão discutir os eixos principais da economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza, além da governança internacional da sustentabilidade. “A Rio+20 é mais do que uma reunião sobre o clima. É sobre como vamos viver em cidades sustentáveis nos próximos 20 anos. Como vamos produzir comida sustentável nos próximos 20 anos”, define Brice Lalonde, coordenador executivo da conferência.

Trata-se de um evento grandioso. O Rio de Janeiro vai praticamente viver em função desse acontecimento, com cerca de 50 mil pessoas – há quem diga que serão 100 mil – movimentando-se por lá somente por conta disso. Por essas e outras razões o entendimento da Rio+20, algumas vezes, pode ser um pouco confuso. Para começar, quando se fala nela, a referência não é somente às atividades oficiais organizadas pela ONU. Na verdade, pode-se dizer que são três eventos paralelos ocorrendo simultaneamente na mesma cidade. Isso porque, além do encontro com os chefes de governo, que é onde as coisas serão decididas de fato, haverá também uma forte movimentação da sociedade civil organizada, que vai procurar fazer pressão nos tomadores de decisão por meio de manifestações na Cúpula dos Povos. Além disso, outras atividades paralelas, como palestras, workshops e atrações culturais, também farão parte dos acontecimentos.

Sexta, 25 Maio 2012 14:49

A contraofensiva do Sistema

Escrito por

Por Cesar Vanucci *

Nosso “spread”, como todos nós sabemos,
ainda é o maior do mundo.”
(Antônio Delfim Neto)

A leitura atenta dos jornais deixa-nos conhecedores de que o sistema financeiro já armou, nos devidos conformes, sua contraofensiva às ações da presidenta Dilma em favor da redução dos juros. A estratégia montada é no sentido de tentar desqualificar as medidas saneadoras tomadas. Apontá-las como inócuas à luz dos sagrados cânones econômicos. E, até mesmo, atribuir a decisões governamentais menos inspiradas a culpa inteira no cartório pelas aberrações cometidas no rendoso jogo do crédito generosamente ofertado à incauta clientela.

Fica claro que a lengalenga marota, que encontra acolhedora cobertura midiática, não conseguirá sensibilizar a sociedade por inteiro. Mas, de qualquer maneira, o ingente esforço despendido com o fito de semear a confusão nos espíritos servirá a algum propósito menos edificante no terreno da contradita política. Ou poderá criar alguma celeuma que venha – quem sabe? - redundar em acertos de bastidores capazes de reduzirem, tiquinho que seja, a quota da contribuição esperada das instituições financeiras, dentro dos critérios definidores da responsabilidade social, para a almejada diminuição das taxas. Diminuição essa que, decididamente, não irá empobrecê-las, mas que, certeiramente, ajustará em termos civilizados a lucratividade descomedida, sempre crescente ano a ano, registrada em suas trilionárias operações.

A falta de sensibilidade social nesses meios confessadamente refratários à nova política de juros, louvavelmente implantada com gestos decididos pela Chefe do Governo, está refletida num sem número de comentários. Neles se projeta visível a intenção de ridicularizar o posicionamento oficial. Indiferentes, como é do feitio da espécie, ao sentimento popular, fingindo não saber do apoio e simpatia maciços da opinião pública às medidas anunciadas, portavozes do complexo financeiro vêm procurando, por todos os meios ao alcance, desacreditar a política de juros colocada em vigor. O economista chefe da Febraban, Rubens Sandesberg, deu o tom da contraofensiva. De forma sarcástica, anotou em relatório concernente a queda de juros, que o cavalo pode até ser levado à beira do rio, mas isso não significa obrigatoriamente que ele se disponha a beber a água. A parlatice foi de tal tamanho que alguns banqueiros, percebendo a indignação que a besteira cometida produziu no Planalto, resolveram maneirar um tanto quanto a barra, desautorizando a fala intempestiva de seu intérprete.

Mas a má vontade com relação ao assunto não cessou. O que levou Dilma a reiterar, com gestos expressos e com declarações peremptórias, batendo forte na cangalha pra turma entender, a convicção governamental – que de resto é a de todo vivente razoavelmente lúcido deste país – de que as taxas de juros não podem continuar situadas nos patamares himalaianos escalados pela ganância e irresponsabilidade social. “Os bancos não podem continuar cobrando os mesmos juros para empresas e para o consumidor, enquanto a taxa básica Selic cai, a economia mantem-se estável e a maioria esmagadora dos brasileiros honra com presteza e honestidade os seus compromissos”, foi o que disse no pronunciamento presidencial no “Dia do Trabalhador”.

No arremate destas considerações, nada mais apropriado para acentuar o acerto das medidas governamentais no tocante aos juros do que estas palavras de um economista que passa, costumeiramente, a impressão de saber do que está falando: “O governo age corretamente, com uma política absolutamente transparente para baixar os juros. O que o Ministério da Fazenda e o Banco Central especialmente têm feito é conversar com os bancos e analisar os componentes do “spread” que, como todos nós sabemos, ainda é o maior do mundo. É razoável, portanto, que se deva esperar uma redução desse “spread”. O nome do economista é Antonio Delfim Neto.

* O jornalista Cesar Vanucci (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ) escreve para o Blog semanalmente.

Evento vai de sexta (25) a domingo (27), no Museu da Abolição. Organizadores buscam desmistificar preconceito contra religiões afro.


Do G1 PE
 
A beleza e as delícias da gastronomia afro-brasileira estarão reunidas na 3ª Mostra Culinária de Terreiro, que acontece de sexta (25) a domingo (27), no Museu da Abolição, com entrada gratuita. Durante o evento, estarão reunidos babalorixás e yalorixás, para mostrar aos visitantes a tradição dessas comidas e como o tempero delas influencia a mesa dos brasileiros e, em especial, dos pernambucanos.

Participam da exposição 13 terreiros de candomblé de Pernambuco, selecionados pelo Centro de Cultura Afro – Pai Adão, que tem como líder o babalorixá Manuel Papai, do Terreiro Obá Ogunté. Ele faz parte do histórico Sítio do Pai Adão que, com 150 anos de existência, pratica de forma ortodoxa o culto nagô.

Os visitantes terão acesso a 29 pratos que fazem parte de ritos e oferendas a orixás, mas também podem ser degustados pelo público. Entre eles, estão receitas como omolucum, feito com fava, camarão e ovos, oferecido a Nanã. Para Oxum e seus filhos, o ipeté (inhame, camarão e dendê) e a calda de goiaba devem conquistar o público.

Um dos destaques desta edição é o latapá, oferecido na barraca do oxirá Obá. A especiaria é preparada com milho verde, camarão, amendoim em pó, castanha em pó, gengibre ralado, azeite de dendê, cebola e cebolinho. Também será oferecido, pela primeira vez, o pato para Yemanjá.

Segundo os organizadores, a Mostra Culinária de Terreiro tem como objetivo desmistificar os pratos desenvolvidos no candomblé, e disseminar o zelo pela tradição, além da importância de liberdade de crenças. Para isso, a abertura do evento, que acontece a partir das 19h da sexta-feira (25), vai contar com a realização de um xiré, ato religioso com cânticos sagrados.

A 3ª edição da exposição vai contar, ainda, com a oficina “Aprendendo com quem sabe”, onde os conhecedores dessa cultura vão ensinar o modo tradicional de fazer a “comida de santo”. As inscrições para as oficinas serão feitas no local da mostra, com vagas limitadas.

Serviço:
3ª Mostra Culinária de Terreiro
Abertura na sexta (25), a partir das 19h
Visitações no sábado e domingo das 16h às 21h
Museu da Abolição – Rua Benfica, 1150 - Madalena
Entrada franca

Prazo previsto para acabar nesta sexta foi estendido até o dia 1º. Ministério da Saúde quer garantir maior número de pessoas imunizadas.


Do G1 PE
 
Comente agoraA campanha de vacinação contra gripe, prevista para terminar nesta sexta (25), foi prorrogada pelo Ministério da Saúde até o dia 1º de junho. A ampliação do prazo vai possibilitar que um maior número de pessoas se vacine e se proteja da doença, segundo informou o ministério.

Em Pernambuco, foram vacinadas até agora 761.075 pessoas, 55,20% do total, que é de 1,37 milhão - entre indígenas, gestantes, crianças de 6 meses a 2 anos, idosos e trabalhadores de saúde - grupos-alvo da ação. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 80% desse total.

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina é segura e protege contra os três vírus que mais circulam no Brasil: dois de gripes comuns e a H1N1. O principal objetivo da campanha é reduzir a mortalidade, as complicações e as internações provocadas por infecções do vírus da gripe. As doenças são transmissíveis pela fala, tosse e espirro, que espalham as secreções da infecção. Os sintomas são conhecidos: nariz entupido, tosse, rouquidão, febre, mal-estar e cefaléia.

saiba mais
 
Governo prorroga em uma semana campanha de vacinação contra gripeEm PE, campanha de vacinação contra gripe termina nesta sexta-feiraPais e responsáveis das crianças devem ficar atentos ao fato de que essa vacinação acontece em duas etapas: 30 dias depois de tomada a 1º dose, é preciso fazer o reforço. Os pequenos que tomaram a vacina em 2011 devem tomar apenas uma dose este ano.

Em todo o estado, há cerca de 6 mil pontos onde é possível se vacinar, entre unidades de saúde e postos volantes. O objetivo da Secretaria Estadual de Saúde é imunizar essa população antes da chegada do inverno, quando costuma haver aumento dos casos de gripe.

Quem é vacinado não deve, segundo o Ministério da Saúde, doar sangue imediatamente, esperando passar um prazo mínimo de 48 horas. Quem está sentindo febre não deve ser imunizado, bem como aqueles que têm alergia a ovo e seus derivados ou quem apresentou reações alérgicas graves a doses anteriores.

Postos volantes no Recife
A Secretaria Municipal de Saúde também disponibilizará vacina contra a gripe em postos armados nos supermercados Todo Dia, em Afogados; Carrefour, na Torre; Macro e Hiperbompreço da Avenida Recife. As doses poderão ser encontradas ainda nas unidades da rede Bompreço em Boa Viagem (avenidas Domingos Ferreira e Conselheiro Aguiar, Rua Padre Carapuceiro e dentro do Shopping Recife) e no Arruda (em frente ao Estádio José do Rego Maciel).

Nesta sexta-feira (25), outros locais também servirão de postos volantes para aplicarem a vacina. A sede do Samu, na Avenida Manoel Borba, 951, Boa Vista, estará funcionando das 8h30 às 11h30. O Parque da Jaqueira também terá um polo que irá funcionar mais cedo, das 7h às 9h.

Brasileiros e espanhóis têm muito mais em comum que a paixão pelo futebol. Nesta sexta-feira (25) é dia de redescobrir as semelhanças históricas e culturais entre Brasil e Espanha na Tertúlia Literária do Instituto Cervantes, no Recife. A palestra acontece às 18h com entrada gratuita e os participantes recebem certificado ao final do evento.

Conduzida pelo Doutor em História pela Universidade de Salamanca, George Cabral, a tertúlia com o tema: “Brasil e Espanha: Cultura e Passado Compartilhados” vai relembrar aspectos das trajetórias dos dois países.

“A ideia é traçar um panorama histórico em linguagem acessível ao grande público sobre a trajetória cultural comum entre brasileiros e espanhóis pelo viés da língua. Ou seja, buscar as influências culturais mútuas ainda na Península Ibérica, mesmo antes do Brasil existir, e analisar o desenvolvimento histórico comum entre Espanha e Brasil (mediado por Portugal) ao longo da idade moderna. Vamos ressaltar ainda o que tem sido feito para aproximar do ponto de vista cultural e político os dois países nas últimas décadas”, comenta o professor.

O Instituto Cervantes fica na Avenida Agamenon Magalhães, 4535, no Derby. Maiores informações através do telefone 3334 0450 ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Serviço:

Tertúlia Literária: Brasil e Espanha: Cultura e Passado Compartilhados

Data: 25/05/12

Hora: 18:00

Lugar: Instituto Cervantes de Recife (Av. Agamenon Magalhães, 4535, Derby)

Entrada: Gratuita

“Mens Sana in Corpore Sano” é o curso de Psicomedicina e Essências Florais, que o médico e pesquisador das Essências Florais do Nordeste, Marco Menelau, irá facilitar nos dias 30 de junho e 1º de julho, na sede da Unipaz Pernambuco, no Rosarinho. O curso abordará uma nova visão e a arte de curar as doenças a partir do significado dos sentimentos e emoções. O ministrante do curso é autor do livro Psicomedicina Volume 1 – O Amor Paterno, que trata da conexão entre Ciência e Espiritualidade, inspirado em conceitos sobre a Fisiologia e fazendo uma relação entre a Biologia e a Saúde da alma. O curso é voltado aos profissionais e estudantes da área de Saúde como medicina, psicologia, fisioterapia, farmácia, enfermagem, além de terapeutas, curadores e profissionais de outras áreas afins.

Segundo explica Marco Menelau, pioneiro na Psicomedicina no Nordeste, “a Psicomedicina é uma nova ciência que surgiu a partir da pesquisa com as essências florais do agreste pernambucano. Por meio dessa ciência busca-se encontrar a causa real das doenças diversas que afetam o corpo humano, modificando o paradigma cartesiano, ampliando a visão de ciência e encontrando as conexões ocultas que existem entre a patologia e todos os contextos da vida do indivíduo doente”.

Formado pela Faculdade, de Ciências Médicas de Pernambuco, o pesquisador das Essências Florais do Nordeste explica que elas foram criadas a partir de 1995, no ecossistema do agreste, nas cidades de Gravatá, Bezerros, Caruaru, Garanhuns, além de outras da Zona da Mata do estado. “Elas foram elaboradas com plantas simples do campo, pequenos matos rasteiros, com flores singelas e delicadas”, acrescenta o pesquisador. Marco Menelau é natural do Recife e nasceu no ano de 1966. Tem formação como Terapeuta Integrativo nas áreas de Reflexologia, Iridologia, Aura soma, Cura espiritual, Cromopuntura, entre outras.

Inscrições e informações do Curso Psicomedicina e Essências Florais do Nordeste com Wlademir (81) 99593393. Informações sobre o trabalho desenvolvido pelo médico e pesquisador Marco Menelau é no http://floraisdonordeste.blogspot.com.br/

O local do curso é a sede da Unipaz Pernambuco, na Rua Enéas Lucena, 244, Rosarinho/Recife-PE

A Rede Pernambuco Voluntário completa nesta sexta-feira (25) dois anos de atividades no Estado, focada na organização e potencialização do trabalho voluntário junto a várias instituições que atuam em Pernambuco. Entre outras ações, atualmente a Rede também está em contato com a representação do Setor de Voluntariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para o desenvolvimento de um projeto de integração com outros grupos semelhantes no Brasil e no mundo.  “Queremos que a população perceba o valor deste tipo de contribuição e pretendemos estimular inclusive as pessoas que queiram contribuir de alguma forma sem saírem de suas casas ou de seus escritórios, às vezes nem precisa ter a presença física do voluntário na instituição. Precisamos dessa ajuda”, enfatiza Paulo Barbosa, diretor de Planejamento do Movimento Pró-Criança (MPC) e um dos responsáveis pelas ações da Rede Pernambuco Voluntário.

Uma das principais iniciativas tem sido o Programa de Capacitação para o Trabalho Voluntário, com treinamentos periódicos que envolvem exibição de filmes, dinâmicas de grupo e discussões com responsáveis pela área em várias ONGs que atuam no Grande Recife, especialmente na ressocialização, acolhimento e educação complementar e formação artística de crianças e jovens em situação de risco. Nestes dois anos, foram nove capacitações realizadas, proporcionando um olhar mais bem preparado para mais de 200 pessoas que passaram a contribuir de forma voluntária doando seu tempo e trabalho para sobrevivência de entidades como o Movimento Pró-Criança e Lar do Neném. As inscrições são sempre gratuitas e a próxima já está marcada para o dia 13 de junho. Informações pelos telefones 3412.8989 e 3412.8959. Ou pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Várias instituições que atuam em Pernambuco em diversos campos da responsabilidade social, entre elas o Movimento Pró-Criança, Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD, Núcleo de Apoio à Criança com Câncer – Nacc, Instituto Materno Infantil – Imip e Lar do Neném, se uniram para a fundação, em 2010, da Rede Pernambuco Voluntário, a primeira Rede de Voluntariado da Região Metropolitana do Recife, um projeto coletivo para estimular a prática do voluntariado e organizar os processos de contribuição a partir de uma série de ações conjuntas. O lema principal do projeto é “Faça o bem, mas faça bem”.

Desde a sua fundação, em 25 de maio de 2010, quando contava com 10 instituições, a rede cresceu e hoje reúne mais de 30 entidades parceiras.

Sobre a Rede Pernambuco Voluntário - Trata-se de uma rede de integração com o objetivo principal de troca de informações e apoio sobre o trabalho voluntário. Atualmente o grupo movimenta dados e informações para cerca de 1,5 mil pessoas, dos mais diferentes níveis sociais, econômicos e de formação, que estão envolvidas com a atividade  voluntária no Grande Recife.

A Rede de Voluntariado da Região Metropolitana do Recife atua principalmente para convocar e capacitar novos voluntários através de um sistema de treinamento permanente e um banco de dados que dá o suporte necessário à atividade dos voluntários nas instituições envolvidas.

Segundo Paulo José Barbosa, diretor de Planejamento do Movimento Pró-Criança (MPC) e um dos responsáveis pelas ações da Rede, qualquer instituição interessada pode se agrupar.

 A proposta começou a ser discutida no final de abril de 2010, com a realização do I Workshop sobre Voluntariado, no Movimento Pró-Criança, e que contou com a presença da ONG Parceiros Voluntários, do Rio Grande do Sul. A Parceiros Voluntários tem mais de 10 anos de atuação promovendo, ampliando e qualificando o atendimento às demandas sociais pelo trabalho voluntário pela melhoria da qualidade de vida no Rio Grande do Sul e hoje congrega várias redes de ação, com 78 cidades participantes. “Hoje a Parceiros Voluntários tem a ideia de ser um movimento disseminador em relação à organização do trabalho voluntário e por isso aceitamos o convite para participar do evento aqui no Recife. Queríamos trazer a nossa experiência para dar início aqui a uma rede aberta de diálogo que crie e atue localmente”, diz Cláudia Remião Franciosi, gerente da ONG gaúcha. “A nossa condição do voluntariado, problemas e soluções, parece muito semelhante em todo o Brasil”.

Serviço:

Informações sobre a Rede Pernambuco Voluntário – 3412.8989 e 412.8959.

Mais informações:

MPC -3412-8989 / 8802-9577 Coord. de Voluntários - Patrícia

IMIP - 3465-3153/9981-8606 - Sandra

OAF - 3222-6859 /9118-7203 - Aída

ABCC - 3224-0305 - Neide

LAR DO NENEM - 3227-2762 / 9964-4698 - Rita

AACD - 3419-4021 / 9912-4749 - Ernesto

Com o tema “Diga Sim para a Vida Continuar”, a Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE) promove, durante toda esta semana, a Campanha Estadual de Incentivo à Doação de Órgãos 2012. A solenidade de abertura da mobilização acontece nesta terça-feira, às 15h, no Palácio do Campo das Princesas, com a presença do governador Eduardo Campos e do secretário estadual de Saúde, Antonio Carlos Figueira.

Este ano, a Campanha Estadual de Incentivo à Doação de Órgãos ganha um significado especial, com a celebração de 18 anos de atuação da Central de Transplantes e a marca de mais de 10 mil transplantes realizados. Pernambuco é pioneiro e referência no Norte/Nordeste em transplantes de fígado, rim, coração, córneas e medula óssea.  Mas apesar dos muitos avanços conquistados desde a criação da CT-PE, em 1994, a lista de espera por um órgão ainda é extensa, com mais de 3 mil pessoas.  São 1.840 na fila por um rim, 1.215 a espera de córneas, 118 de fígado, e 3 de coração.-

Sexta, 18 Maio 2012 14:47

Lar do Nenen adere ao programa Mãe Legal

Escrito por

Projetos de assistência às gestantes são fundamentais, principalmente quando se trata de mulheres que optam por não ficar com seus filhos. Pensando nisto, o Lar do Nenen,  única entidade em Pernambuco, sem fins lucrativos, que é voltada a atender crianças de zero a dois anos em situação de abandono ou risco, integra ao programa Mãe Legal para ajudar as mães que manifestam a intenção de entregar suas crianças para adoção, seja antes ou após o nascimento. 
O projeto visa a promover, de forma adequada e nos moldes da lei, a reinserção da criança na mesma família ou, em último caso, em família substituta, dando assim, um novo recorte ao trabalho que é estimulado pelo Conselho Nacional de Justiça ao programa de adoção,  já que, de certa forma, o objetivo é fazer com que cada criança encontre segurança e apoio psicológico em um lar. O projeto é desenvolvido pela 2ª Vara da Infância e Juventude de Pernambuco – vinculada ao Tribunal de Justiça de Pernambuco - TJPE. 
Segundo a presidente do Lar do Nenen, Augusta Motta, a ideia é acolher as gestantes e investir na  promoção de sua autonomia e no respeito a decisão que as mesmas venham a tomar. E, assim, evitar muita vezes de abandonarem por desespero seus filhos em praças, lixo, rua ou no rio. Somente em 2011 o Lar do Nenen atendeu cerca de 60 crianças. Amparadas pela entidade, elas receberam alimentação, carinho e cuidados.  Fundado em 1978, o Lar do Nenen é uma instituição social com o objetivo de acolher crianças encaminhadas pelos Conselhos Tutelares, juízes ou promotores de comarcas da capital ou do interior.

Por Elaine Patricia Cruz, da Agência Brasil

“Os painéis Guerra e Paz representam sem dúvida o melhor trabalho que eu já fiz. Dedico-os à humanidade”. A frase, dita pelo artista brasileiro Candido Portinari (1903-1962), tenta explicar a grandiosidade dos painéis que estão em exposição no Memorial da América Latina, em São Paulo, até o próximo dia 20 de maio. Cada um dos murais tem 14 metros de altura por 10 metros de largura e pesam mais de 1 tonelada, mas a grandiosidade das obras não pode ser medida apenas pelo tamanho dos painéis e sim pela tocante mensagem de paz que destina ao mundo.

“Esta não é apenas uma exposição de arte. Esta é uma grande mensagem ética e humanista e que se dirige ao principal problema que o mundo vive hoje em dia: a questão da violência, da não cidadania, da injustiça social. Esta é a grande mensagem de toda a vida de Portinari e que ficou sintetizada nesses trabalhos finais que ele deixou”, disse João Candido Portinari, filho de Portinari, em entrevista à Agência Brasil. João Candido é o responsável pela realização do projeto, que trouxe as obras para o Brasil.

Terminadas em 1956, as obras permanecem atuais. As expressões de sofrimento das mães no painel que mostra A Guerra, por exemplo, podem ser comparadas a fotos de mães que sofreram recentemente no conflito na Síria. Segundo João Candido, essa comparação foi feita por um professor de Uberlândia (MG) que visitou a exposição e lhe mandou, por e-mail, uma fotomontagem comparando a mãe síria à pintura de Portinari. “Ela estava numa posição de desespero absolutamente idêntica a de uma mulher que estava no painel da Guerra”, falou João Candido.

Todo o trabalho que resultou em Guerra e Paz foi produzido por Candido Portinari entre os anos de 1952 e 1956. O trabalho foi encomendado pelo governo brasileiro para presentear a sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, onde os painéis foram instalados no hall de entrada, com acesso restrito ao público.

Uma grande reforma no edifício da sede da ONU, que teve início em 2010, deu a inédita oportunidade de trazer esses painéis ao Brasil. A primeira etapa da exposição ocorreu no Rio de Janeiro, em dezembro de 2010, reunindo mais de 44 mil visitantes. Em São Paulo, mais de 150 mil pessoas já visitaram Guerra e Paz. Até 2014, as obras ficarão em exposição pelo mundo, até que voltem em definitivo para a sede da ONU.

Os imensos painéis só puderam ser transportados porque Guerra e Paz consiste numa espécie de quebra-cabeça, composta por 28 placas de madeira compensada naval. No Brasil, as obras passaram por um processo de restauração, realizado entre fevereiro e maio de 2011 no Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro. Com Guerra e Paz também estão sendo expostos 100 estudos preparatórios, além de documentos históricos como cartas, recortes de jornais e fotografias que contam, em detalhes, a criação dos painéis.

João Candido tinha apenas 13 anos quando o pai deu início às obras. “Eu vi um ato de heroísmo. É claro que naquela época eu não tinha condições para perceber isso. Eu só via um homem que pintava de manhã até de noite, em condições extremamente árduas. Ele trabalhava num galpão que era um antigo estúdio de televisão, emprestado pela Rádio Tupi, sem janelas, com teto de zinco e que chegava à temperatura de 45 graus Celsius. Ele tomava limonada o tempo todo para tentar sobreviver”, lembra. Segundo João Candido, o pai levou quatro anos fazendo os estudos para as obras e as pintou em apenas nove meses.

Guerra e Paz foram os dois últimos e maiores painéis criados por Portinari. Enquanto fazia o estudo preparatório para os dois painéis, os médicos o aconselharam a parar de pintar por causa do processo de envenenamento pelas tintas. Portinari rejeitou o conselho médico. “Foi fatal. Havia aquela proibição médica, que ele não respeitou. Mas ele não podia deixar de passar a maior mensagem da vida dele, a de paz”, disse o filho. Em 6 de fevereiro de 1962, Portinari morreu em consequência do envenenamento pelo chumbo presente nas tintas que usava.

O gigantismo das obras impressiona o público. A professora aposentada Nilsa Papaleo visitou a exposição na última sexta-feira (11). “Fico encantada em ver como uma pessoa pode fazer uma arte desse tamanho. Fiquei espantada [em saber] como transportaram, já que é um painel imenso. E aí me explicaram que é como um quebra-cabeça, todo dividido, que eles desmontam. É muito bonito, impactante”, disse ela, à Agência Brasil. Para ela, as obras apresentam a sociedade em que vivemos. “E continua do mesmo jeito”.

O médico Luiz Martinelli já tinha visto a obra na ONU. “Mas ver aqui é diferente. Estamos em casa. No nosso país é diferente. É mais gostoso”, disse. “Particularmente eu gosto mais de A Paz. Eu sou da paz”, brincou. “Em A Guerra, vemos as pessoas sofrendo. É uma imagem mais chocante. A paz sempre é mais bonita”.

Após receber a dica de um professor, que contou que a obra era da ONU, o estudante Pablo de Lima Almeida decidiu ir à exposição com um grupo de amigos. À Agência Brasil, contou ter gostado mais do painel que retrata a paz. “É mais bonito”, disse ele.

Já a aposentada Cristina Figueiredo, que sempre gostou de arte, decidiu visitar a exposição antes que ela terminasse. O impacto das obras, segundo ela, é grandioso. “Eu tinha visto Guernica, do Picasso, que também é impressionante. Mas este aqui tem o nosso colorido, o colorido brasileiro, o que para mim é muito importante”, falou, lembrando da atualidade da obra. “Li em algum lugar que ele (Portinari) retrata a guerra como uma coisa que sempre pertenceu à humanidade. Ele não retrata uma (única) guerra, como é o caso de Guernica, que aborda a Guerra Civil Espanhola. Ele retrata a guerra que sempre existiu na humanidade e que, infelizmente, continua existindo”, disse.

Essa grande mensagem do artista Candido Portinari ao mundo, os imensos painéis que formam a obra Guerra e Paz, deve permanecer no Brasil por um tempo maior do que o esperado. No Memorial da América Latina, em São Paulo, onde está exposta atualmente, a exposição foi prorrogada até o dia 20 de maio, com entrada franca. Depois, ela deve ter como destino a capital mineira, Belo Horizonte (MG), antes de atravessar o oceano, seguindo provavelmente para a Noruega e para a China.

Mais informações sobre a exposição podem ser encontradas em www.guerraepaz.org.br

Quinta, 17 Maio 2012 14:50

Cinco dicas para ter um quarto sustentável

Escrito por

Por Marcia Sousa, do CicloVivo

A sustentabilidade precisa ser incorporada em todos os aspectos da vida, não só na questão ambiental. Algumas mudanças de hábito podem começar na própria casa. Com algumas substituições é possível viver em um ambiente muito mais sustentável. Conheça então cinco ideias para tornar seu quarto mais sustentável e reduzir os níveis de poluentes do ambiente.

- Use tintas sem COV na parede:

A maior parte das tintas disponíveis no mercado possui compostos orgânicos voláteis (COV), que possuem substâncias cancerígenas e ainda poluem o ar. A dica é substituí-las por tintas sustentáveis.

Conheça algumas tintas alternativas:

Tinta de caseína, que é uma a mistura da caseína (uma proteína do leite) com pigmentos. Esta tinta pode inclusive ser feita em casa.

Tintas de cal: Feitas com cal e pigmentos naturais.

Tintas naturais ou orgânicas: Estas são desenvolvidas com extratos vegetais e minerais misturados com óleos e resinas naturais. Também podem ser feitas em casa com frutas ou verduras.

Tinta de terra: Estas proporcionam maior controle da umidade relativa no ar, pois uma vez que possuem terra na composição elas deixam a parede respirar. Além disso, não desbotam e podem ser utilizadas em paredes internas e externas.

Tintas minerais: Por serem feitas de materiais minerais, elas não contêm substâncias tóxicas e deve ser diluída em água antes do uso.

Os pontos desfavoráveis das tintas sustentáveis é que, por não terem conservantes ou produtos químicos para secagem, elas têm data de validade menor e precisam de mais tempo para secar.

- Prefira tapetes sustentáveis

Uma alternativa é usar tapetes de bambu, que são feitos com fibras extraídas de uma pasta celulósica da própria planta. Este modelo é considerado ecológico, pois não agride o meio-ambiente quando a planta é cortada, pois em pouco tempo já pode receber um novo broto. Além disso, pode produzir até 20% a mais de oxigênio do gás carbônico que recebe.

Além do bambu, há outros tipos de tapetes feitos com materiais eco eficientes e reciclados. Alguns com materiais vindos diretamente da natureza, como as fibras de aloe e cacto. No mercado já é possível encontrar também tapetes artesanais confeccionados com fio de garrafas plásticas do tipo PET.

- Reutilize móveis antigos

Ao invés de comprar novos objetos para decorar o quarto, busque aproveitar os móveis usados restaurando-os ou simplesmente passando uma tinta. Aproveite até as peças antigas, que podem ser herdadas de outros parentes. Sabendo fazer uma decoração harmônica com os objetos do quarto, o móvel retrô pode conferir um ambiente personalizado.

Se esta alternativa não foi possível, compre móveis feitos a partir de materiais reciclados, que podem ser comprados em lojas especializadas. Na hora da faxina, lembre-se que velhas gavetas e armários podem ser reutilizados em outras áreas da casa, como recipiente para guardar ferramentas de jardinagem, por exemplo.

- Economize energia

Aproveite o máximo de luz natural possível. Coloque janelas grandes e preocupe-se também com a moldura aplicada em cada uma delas. Escolha de acordo com a necessidade do ambiente. Por exemplo, embora o alumínio não seja o melhor material para o gerenciamento de calor, ele é prático para climas chuvosos e úmidos.

Desta forma, não será preciso acender a luz artificial durante o dia. Já à noite, opte por lâmpadas LED ou fluorescentes compactas, ambas consomem menos energia do que as convencionais.

- Opte por acessórios práticos

Use vasos de plantas no quarto ou em uma varada próxima para purificar o ar e ainda decorar o espaço. Se gostar de cortinas, prefira as mais leves que permitem que a luz solar se infiltre no local, impedindo mofo e bolor. Alternativas: cortinas costuradas a partir de algodão orgânico, seda, cânhamo ou bambu.

Pegue caixas que nao são mais usadas em casa, decore-as e use como recipiente para armazenar seus objetos e manter o quarto arrumado.

No quarto devem ficar apenas os eletrônicos necessários. Não desperdice energia deixando aparelhos eletrônicos plugados na tomada a noite inteira.

* Com informações do Green Diary.

Do CicloVivo

A menos de um mês da Rio+20 a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou o site “O futuro que nós queremos”. A proposta tem como intuito incentivar o debate e proporcionar ferramentas para que a sociedade possa expor ideias e sugerir soluções para as próximas décadas.

A campanha teve início na última quarta-feira (16) e através do site a população pode enviar vídeos ou mensagens em texto falando sobre as expectativas para o futuro. O diretor do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil e porta-voz adjunto da Rio+20, Giancarlo Summa falou sobre a importância desta proposta. “A discussão sobre o desenvolvimento sustentável só será um sucesso se a opinião pública em cada país, a nível global, se envolver e fizer uma certa pressão sobre os governos e as empresas”, informou Summa.

A iniciativa já foi aplicada também em outros países, e os vídeos com os desejos de pessoas de diferentes culturas estão disponíveis no site. Alguns brasileiros também se abriram para falar sobre seus desejos e anseios, entre eles estão personalidades famosas, como a modelo Gisele Bündchen, o ex-jogador de futebol Ronaldo, o artista plástico Vick Muniz, o escritor Paulo Coelho, o cantor MV Bill e o arquiteto Oscar Niemeyer.

Todas as celebridades participaram de maneira voluntária, sem cobrar cachê pela aparição. Além disso, o Grupo Ogilvy foi o responsável pela campanha “Eu sou nós”, feita sem custos para a ONU, conforme informado pelo jornal paulistano.

Qualquer pessoa pode participar do projeto, para isso basta acessar o site e enviar uma mensagem sobre o que espera para o futuro. Assim, a ONU pretende facilitar a integração e expandir a rede de pessoas que estão dispostas a lutar por um mundo melhor.

* Com informações da Folha.

Quinta, 17 Maio 2012 14:39

Recomendações naturalistas simples

Escrito por

Por Cesar Vanucci *

Tudo deveria ser tornado tão simples
quanto possível, mas não mais simples do que isto!”
(Einstein)

São recomendações muito simples. Não exigem esforço físico exagerado. Proporcionam – asseguram os que praticam essas modalidades de exercícios – resultados bastante compensadores. As práticas vêm sendo propagadas intensamente nas redes sociais como contribuição de profissionais da chamada medicina naturalista. Apresentam-nas como ideal para quem não gosta, ou não tem tempo de fazer rotineiramente exercícios físicos.

O que se anuncia, por esse instrumento de comunicação, é que alguns médicos naturalistas confessam-se danados de triste sempre que batem com os costados em congressos de sua categoria profissional. Acontece de experimentarem, nesses encontros, o dissabor de constatar que os resultados de certas experiências exitosas e eficientes, de fácil comprovação, processadas em sua esfera de atuação, não são contemplados, hora nenhuma, com divulgação adequada. “Não dão ibope”, é o que costumeiramente se lhes é passado. Vêem-se compelidos, à vista disso, a utilizarem as redes sociais para repassarem exercícios e ações singelos por eles reconhecidos como úteis no enfrentamento de problemas cardíacos. Vamos lá: 1º. ao acordar, deitado de barriga pra cima, pedalar 30 vezes no ar. Isso concorre para melhorar o posicionamento da coluna e da postura, diminuindo e retardando o encurvamento das costas, aliviando dores e baixando a pressão; 2º. antes do banho, exercitar a barriga da perna (levantar o corpo na ponta dos pés). Primeiramente, de modo rápido, até esquentar as panturrilhas e, depois, fazendo uma sequência de dez movimentos lentos. Pronto. Tal exercício – assevera-se - bombeia o sangue para o coração, melhora os batimentos cardíacos e evita obstrução das veias. Nos primeiros seis meses, a pessoa com excesso de peso poderá vir a emagrecer (oba!) da cintura para baixo. Nos seis meses subsequentes, se beneficiará (oba, outra vez!) da cintura para cima. Depois de dois anos, não engordará mais. Além de tudo, o exercício reduz riscos de cirurgia cardíaca, que custa, como sabido, os tubos.

Outra prática sugerida pelos naturalistas diz respeito às micro varizes. Esta a recomendação: ao chegar em casa, coloque os pés numa bacia com água bem quente. É o famoso “escalda pés”, que além de relaxar, serve para desencadear a dilatação dos vasos sanguíneos dos pés, trazendo benefícios também à visão. O processo foi pesquisado com pacientes diabéticos. Constatou-se melhora na circulação sanguínea. O quadro geral de saúde dos pesquisados melhorou e foram percebidos por muitos efeitos benéficos no sistema visual. O exercício é indicado, ainda, como eficaz para combater o encurvamento da coluna.

Outra recomendação da medicina naturalista: ao perceber que a pressão subiu, coloque as pernas dentro de um balde com água gelada até os joelhos. Permaneça nessa imersão por vinte minutos. Tranchã, atestam os que se entregam a essa prática.

* O jornalista Cesar Vanucci (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ) escreve para o Blog Viva Pernambuco semanalmente.

Por EcoD

Ex-empregada doméstica, a empresária Lucineide Nascimento descreve com orgulho a época mais difícil de sua vida, quando trocou trabalho por um prato de comida e um lugar para dormir. Enfrentando todo tipo de adversidade, encontrou na responsabilidade social uma oportunidade de negócio, segundo informou a Agência Sebrae de Notícias (ASN).

“Depois do emprego como doméstica, consegui ser representante de uma linha de produtos de R$ 1,99. Eram dias sem descanso, vendendo em lojas populares de toda a cidade. A experiência foi importante. Vi que os empresários colocavam os produtos em sacolas plásticas. Eles compravam quantidades enormes de sacolas. Imaginei que uma embalagem retornável diminuiria o custo da empresa e ajudaria o meio ambiente. Foi assim que tudo começou”, explicou a empreendedora à ASN.

Hoje, a Edilu Sacolas Ecológicas emprega quatro pessoas e funciona na própria residência de Lucineide, em um bairro da Zona Sul de São Paulo. No começo, entre os produtos vendidos, Lucineide oferecia as sacolas ecológicas, feitas em algodão natural cru. “Isso ocorreu em 2007, quando nem se falava na substituição das sacolas plásticas nos supermercados”, lembrou.

Em 2008, a empresária deixou a representação dos produtos populares para se dedicar ao negócio e criou a marca Edilu Sacolas Ecológicas. Um produto de sucesso é a sacola que, quando fechada, transforma-se em um pequeno estojo para ser guardado na bolsa. “As mulheres são as que, normalmente, vão ao supermercado. Se a sacola estiver na bolsa, não há como esquecer”, enfatizou.

Além do varejo, o estabelecimento fabrica sacolas para empresas e instituições. Entre os parceiros, está a Associação da Agricultura Orgânica, o Centro de Voluntariado do Estado de São Paulo, o projeto Faça Parte, entre outros. Frases estampadas nas sacolas, ressaltando a preocupação com o meio ambiente, como “Preserve hoje para que exista o amanhã” ou “Recicle, a natureza agradece”, têm chamado a atenção de representantes de grandes redes varejistas, reforça Lucineide.

Quinta, 17 Maio 2012 14:33

Ciência é tema do Festival do Minuto

Escrito por

Por Karina Toledo, da Agência Fapesp

Estão abertas até o dia 27 de outubro as inscrições para o concurso do Festival do Minuto que tem como tema a ciência. A participação é aberta para todos os públicos e o desafio é condensar o que o participante sabe sobre um tema ou área do conhecimento em apenas 60 segundos.

“Esta é a primeira vez que a ciência é tema do Festival do Minuto e também a primeira vez que temos a Fapesp como um dos apoiadoores. Acredito que podem surgir vídeos fantásticos que depois poderão ser usados como material educativo nas escolas”, disse Marcelo Masagão, criador e curador chefe do festival.

Além dos estudantes e professores de primeiro e segundo grau, público tradicional do evento, a ideia é atrair a participação de universitários, pós-graduandos e também de cientistas interessados em divulgar suas pesquisas.

“Ciência sugere pessoas que entendam profundamente sobre um determinado assunto. O desafio é resumir esse conhecimento acumulado em um minuto e com imagens”, disse Masagão.

Para participar, basta enviar o vídeo para o site www.festivaldominuto.com.br, em qualquer formato. Vale até mesmo aquele feito com o celular e tablet ou animações.

Todos os vídeos serão publicados no site do festival e os seis melhores serão escolhidos por uma equipe que conta com representantes da Fapesp. Seis laptops são oferecidos, três deles para estudantes ou professores da rede pública de ensino. Os vencedores serão anunciados em novembro.

“A Fapesp decidiu patrocinar o concurso, pois, além de apoiar a geração de conhecimento, também é sua missão estimular a divulgação do conhecimento. Queremos levar a ciência a um público cada vez maior”, disse Celso Lafer, presidente da Fapesp.

Lafer também considera a participação dos cientistas importante. “O pesquisador mostra que está interessado em alcançar e estimular esse público mais jovem a encontrar caminhos e solução por meio da ciência”, disse.

O Festival do Minuto foi criado em 1991 e é hoje o principal festival de vídeos da América Latina, tendo inspirado iniciativas similares em outros 50 países. Desde 2007, tornou-se permanente e on-line, premiando os melhores trabalhos.

A organização também realiza exibições no Brasil e no exterior, exposições, mostras itinerantes, festivais em escolas e universidades, oficinas, entre outras atividades. Grande parte dos cineastas e profissionais de renome do audiovisual brasileiro já fez o seu filme do Festival do Minuto.

Mais informações: www.festivaldominuto.com.br

Por Marcos Chagas, da Agência Brasil

Os catadores de material reciclável poderão ser incluídos entre os segurados especiais da Previdência Social. O projeto de lei que prevê a medida foi aprovado na última quarta-feira (16), em caráter terminativo, pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. Uma vez enquadrado como segurado especial, o catador de material reciclável terá a possibilidade de contribuir apenas com 2,3% de seu faturamento bruto anual.

Para entrar em vigor, no entanto, a matéria terá que ser aprovada pelos deputados, na Câmara, e receber a sanção da presidenta da República. Pela legislação, a pessoa que trabalha com coleta de lixo está enquadrada pela Previdência Social como contribuinte individual. Assim, tem que contribuir, se considerado o salário mínimo, com 11% do valor. Caso o salário de contribuição seja superior ao salário mínimo, o percentual passa para 20% de sua renda.

O autor da proposta, Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), disse que por volta de 500 mil brasileiros exercem essa atividade, na informalidade. Segundo ele, os catadores de lixo recebem por dia de trabalho entre R$ 2 e R$ 5. O senador defende que a redução da alíquota de contribuição para a categoria permitirá o aumento da inclusão previdenciária “e do exercício da cidadania por esses trabalhadores”.
--

Por Fabiano Ávila, do Instituto CarbonoBrasil

 
“Pode não parecer sexy, mas solucionar problemas como diarreia, vermes e desnutrição fará mais bem aos pobres do mundo do que intervenções grandiosas”, resume Bjørn Lomborg, fundador do Centro de Consenso de Copenhague, instituição que tem como grande objetivo encontrar as melhores maneiras para o investimento de recursos destinados ao desenvolvimento e auxílio de países pobres.

É com essa postura de propor soluções que sejam “realistas” que a entidade reuniu 65 pesquisadores, entre os quais quatro vencedores do Prêmio Nobel, com o objetivo de pensar durante um ano em possíveis respostas para os dilemas globais.

O resultado desse trabalho vem sendo divulgado nas últimas semanas no formato de artigos sobre dez temas: Conflitos Armados, Biodiversidade, Doenças Crônicas, Mudanças Climáticas, Educação, Fome e Desnutrição, Doenças Infecciosas, Desastres Naturais, Crescimento Populacional, Água e Saneamento.

Para as questões de biodiversidade e da fome, por exemplo, é sugerido o investimento pesado em tecnologias agrícolas. Assim, seria diminuída a necessidade de converter áreas preservadas para campos de cultivo.

De acordo com o Centro de Consenso de Copenhague, se o investimento em pesquisa agrícola chegasse a US$ 13 bilhões ao ano, em 2050 o número de famintos cairia em mais de 200 milhões, devido, sobretudo, ao barateamento dos alimentos.

Analisando em conjunto os problemas, os 65 pesquisadores elaboraram uma lista de 16 ações que deveriam ser prioritárias (em ordem decrescente de importância):
- Financiar intervenções de nutrição para combater a fome e melhorar a educação;
- Expandir os subsídios para o tratamento de malária;
- Expandir a cobertura de imunização infantil;
- Lidar com as doenças causadas por vermes em crianças;
- Expandir o tratamento de tuberculose;
- Investir em pesquisa e desenvolvimento agrícola;
- Melhorar sistemas de alerta de desastres naturais;
- Fortalecer as capacidades cirúrgicas em países pobres;
- Imunização da Hepatite B;
- Financiar o uso de drogas de baixo custo para casos de ataques cardíacos em nações pobres;
- Campanha para reduzir o consumo de sal;
- Investir em pesquisa e desenvolvimento de geoengenharia para lidar com o aquecimento global;
- Programas de transferência de renda condicionados à presença escolar;
- Investir na pesquisa da vacina do HIV;
- Campanhas informativas sobre os benefícios da educação;
- Financiar a construção de poços artesanais.

“Os investimentos para combater doenças infecciosas são baratos e efetivos. Os governos podem conquistar muito nessa área”, afirmou Thomas Schelling, vencedor do prêmio Nobel de Economia de 2005.

“Acabar com doenças provocadas por vermes é um objetivo quase ignorado e que merece mais atenção e recursos. Este simples e barato investimento significa crianças mais saudáveis e que passam mais tempo na escola”, reforçou Robert Mundell, outro vencedor do Prêmio Nobel de Economia.

“O volume de pesquisa produzida pelo Centro de Consenso de Copenhague soma-se ao nosso conhecimento de quais são as maneiras mais inteligentes para lidar com os desafios da humanidade. E a lista construída pelos vencedores do Nobel nos mostra quais investimentos podem ajudar mais. Estas são as áreas que os governos e filantropos deveriam focar sua atenção”, resumiu Lomborg.

Clima

Para as mudanças climáticas, uma solução apresentada foi a criação de uma taxa sobre o carbono para financiar novas tecnologias limpas de energia. Segundo Isabel Galiana e Christopher Green, ferramentas de cobrança sobre as emissões de gases do efeito estufa devem estar alinhadas com o desenvolvimento de novas opções tecnológicas, pois somente assim esses mecanismos são úteis.

Curiosamente, uma das sugestões apontada para o aquecimento global é a polêmica geoengenharia. São apresentadas como soluções viáveis métodos para refletir raios solares, como a injeção de aerossóis na estratosfera e o bombeamento de vapor de água dos oceanos na atmosfera.

Essas opções chamam a atenção justamente porque Lomborg, que é autor do livro “O Ambientalista Cético” e do filme “Cool it”, já negou as mudanças climáticas.

“Minha postura atual sobre o aquecimento global é bastante simples: É real, está sendo causado pelas emissões humanas de CO2 e precisamos fazer algo para freá-lo. Porém, precisamos de ações que realmente funcionem e não apenas que façam bem para a nossa consciência”, escreveu Lomborg em um artigo publicado no dia 9 de maio.

O cidadão brasileiro poderá exercitar plenamente o direito à informação pública com a entrada em vigor, desde a última quarta-feira, dia 16 de maio, da Lei de Acesso à Informação. Proposta pelo governo federal e aprovada pelo Congresso Nacional, a norma é considerada uma das mais abrangentes e avançadas do mundo. As regras valem para a administração direta e indireta de todos os Poderes e entes federativos e se apresentam como instrumento eficiente de participação da sociedade na gestão pública.


A Lei de Acesso à Informação faz do conceito de transparência um direito de fato do cidadão brasileiro, pois uma pessoa bem informada tem melhores condições de conhecer e acessar outros direitos essenciais como saúde, educação e benefícios sociais. Além disso, o acesso a esses dados constitui-se em um dos fundamentos para a consolidação da democracia, pois fortalece a capacidade dos indivíduos de participar de modo efetivo da tomada de decisões que os afeta. Esse direito garante a ampliação do acesso à prestação de contas públicas, possibilita o monitoramento sistemático da execução e resultados das políticas públicas e faz da participação social um exercício de cidadania e de garantia de uma gestão pública de qualidade.


Entre os avanços estão o fim do sigilo eterno de documentos oficiais e a obrigatoriedade de todos os órgãos públicos de prestar, em no máximo 30 dias, informações de interesse do cidadão, sem que esse necessite justificar o pedido. De maneira espontânea, os órgãos e entidades públicas devem divulgar, independentemente de solicitações, informações de interesse geral ou coletivo, por meio de todos os canais disponíveis e obrigatoriamente em sítios da internet.


Informações sobre contratos, licitações, gastos, repasses e transferências de recursos, por exemplo, devem ser fornecidas de forma clara, em linguagem simples e direta e com apoio de ferramentas de busca e pesquisa na internet. A lei determina também que nenhum documento, ato ou fato que se configure como ameaça aos direitos humanos pode ser tratado como sigiloso. A transparência passa a ser a regra e o sigilo, a exceção.


A nova lei se soma a outras iniciativas que já privilegiavam a transparência ativa, como o Portal da Transparência - que oferece informações sobre as ações do governo federal para que a sociedade acompanhe como o dinheiro público é gasto. Medidas como essa fizeram do Brasil o oitavo país mais transparente do mundo e o primeiro da América Latina, no Índice de Orçamento Aberto do International Budget Partnership (IBP).


Canais - O governo federal trabalhou nos últimos seis meses para implementar a nova lei. Todos os órgãos centrais já criaram canais exclusivos de interação com a sociedade, conhecidos como Serviço de Informações ao Cidadão (SIC). O atendimento é presencial, pela internet ou por telefone.


Desse modo, a opção do governo federal pela transparência se apresenta como um mecanismo de aprimoramento da qualidade do gasto público, redução de custos, racionalização de processos e transformação, para melhor, da vida do cidadão brasileiro.
Saiba mais:
Acesse o portal em www.cgu.gov.br

No período de 24 maio a 1º de junho, Pernambuco receberá a Caranava Nordeste contra o Trabalho Infantil. À frente dos trabalhos, está o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil de Pernambuco (Fepetipe), que coordena programação em todo o Estado. Com diversas ações e estratégias, a Caravana é uma mobilização para chamar a atenção da sociedade para a necessidade de enfrentamento do problema.

O objetivo da iniciativa é contribuir para o fortalecimento das ações locais de prevenção e eliminação do trabalho infantil nos estados do Nordeste. Desde abril, a Caravana está acontecendo em toda a região, sendo uma iniciativa do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI), com o apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT) Brasil e Fundação Telefônica.

A programação em Pernambuco começa no dia 24 de maio, a partir das 9h, com o lançamento da Caravana, durante audiência pública na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Na oportunidade, será reforçada a importância para o cumprimento das metas estabelecidas pelo Plano para Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador de Pernambuco, aprovado no ano passado, pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA-PE). Na ocasião também, em parceria com os Correios, será lançado selo comemorativo à iniciativa.

Calendário da Caravana em Pernambuco

Dentro do calendário da Caravana, a programação em Pernambuco contará com Seminários Regionais nos dias 28 de maio, no Município de Salgueiro (Sertão), 29 de maio, no Município de Garanhuns (Agreste) e 30 de maio, no Município de Goiana (Mata/Litoral). Neles, serão reunidos representantes dos governos Municipais, da Sociedade Civil, operadores de direitos da criança e do adolescente de todo o estado. Paralelamente aos seminários, serão realizadas atividades educativas com crianças e adolescentes de programas sociais.

Nos dias dos eventos nas cidades, a Caravana contará com o apoio dos Correios na divulgação. É que os carteiros – literalmente - vestirão a camisa da campanha, reforçando o grande mote da Caranava, que é o combate ao trabalho infantil, junto à população.

A Caravana em Pernambuco será finalizada com audiência com o governador do Estado, Eduardo Campos, no dia 31 de maio. No encontro, o Fepetipe apresentará os resultados colhidos durante a Caravana e solicitará o compromisso do Governo para o cumprimento das ações do Plano Estadual para Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador.

 

Confira abaixo o calendário da Caravana Nordeste

9 a 13 de abril - Ceará

16 a 20 de abril - Maranhão / Piauí

23 a 27 de abril - Rio Grande do Norte

7 a 12 de maio - Paraíba

21 a 25 de maio - Sergipe / Alagoas

28 maio a 1º junho - Pernambuco

4 a 6 de junho - Bahia


Confira abaixo o calendário da Caravana em Pernambuco

24 de amio - Lançamento da Caravana

9h - Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco

Auditório do Anexo 2 - 6º andar - Recife (PE)

28 de maio - Município de Salgueiro (Sertão)

8h às 13h – Seminário e Atividades educativas

Local: Instituto Federal

Endereço: BR-232 – km 508 – Zona Rural


29 de maio - Município de Garanhuns (Agreste)

8h às 13h - Seminário e Atividades educativas

Local: Autarquia de Ensino de Garanhuns (AESGA)

Endereço: Av. Caruaru, 508 – Bairro de São José


30 de maio - Município de Goiana (Mata/Litoral)

8h às 13h - Seminário e Atividades educativas

Local: Av. Marechal Deodoro da Fonseca, s/n - Centro

Podem se candidatar entidades que atuam na área da infância e juventude. As inscrições vão até dia 7 de junho

 

A Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos, por intermédio do Conselho Municipal de Assistência Social de Olinda - CMASO e o do Conselho Municipal de Direito da Criança e do Adolescente de Olinda - COMDACO, publica Edital para Seleção de Projetos na área de Assistência Social.

Serão selecionados projetos sociais que atendam crianças e adolescentes com idade de 7 a 16 anos, em situação de vulnerabilidade social ao Trabalho Infantil e que realizem atividades socioeducativas de convivência e fortalecimento de vínculos familiares e comunitários.

Os projetos serão financiados por um período de 12 meses, a partir da data da assinatura do convênio, através do Fundo Municipal de Assistência Social de Olinda - FMAS e do Fundo Municipal da Criança e Adolescente - FMDCA.

As entidades somente poderão concorrer com 01 (um) projeto, que deverá ser entregue na sede da SDSCDH (Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda) em 03 (três) cópias impressas e 01 (uma) cópia gravada em CD, até o dia 7 de junho de 2012.

Contato: Josineide Ferreira (Coordenadora do PETI em Olinda) - Fone: 8798.6292 / 3429.6777 R - 242.

twitter

Apoio..................................................

mercado_etico
ive
logotipo-brahma-kumaris